Planeta

Resenha: Mil beijos de garotos

26 novembro


Título: Mil Beijos de Garotos
Autora: Tillie Colle
Editora: Planeta
Páginas: 400
Ano: 2017

Olá leitores! Hoje a resenha é do livro "Mil beijos de garotos" da Tillie Colle, enquanto eu o lia sua história me lembrou dois filmes clássicos (não vou dizer antigo)  que foram reprisados diversas vezes na sessão da tarde durante a minha infância "Meu primeiro amor" e "ABC do amor" (para ser justa, o último não tão antigo, risos), ambos trazem personagens que descobriram o amor em sua forma mais pura ainda na infância e tão cedo também sofreram de amor. Como adoro esses filmes por consequência também adorei o livro.

Poppy e Rune se conhecem ainda na infância e de uma forma inexplicável se tornam imediatamente inseparáveis. Aos oito anos, Poppy recebe de sua vó como o último desejo dela um pote que contém mil papéis cortados em forma de coração, eles devem ser preenchidos descrevendo todos os beijos que fizerem o coração de Poppy bater mais rápido a fim de eternizá-los. Poppy aceita a missão (ou aventura como ela mesma descreve) e não quer demorar a começar. É nesse momento que Rune percebe que não quer ver Poppy beijando outra pessoa e assim nasce o amor entre eles. Aos quinze anos eles se separam pela primeira vez desde que se conheceram, Rune precisa retornar ao seu país de origem junto com a família. Essa separação deixou o coração dos dois partidos e agora após dois anos separados eles se encontram novamente, mas precisam enfrentar outros obstáculos para enfim permanecerem juntos.

"Mil beijos de garotos" é um livro que aquece a alma e nos permite acreditar que o amor pode sim superar todas as distâncias e que é um sentimento inexplicável que pode chegar em qualquer idade. A história do livro pode soar um tanto melancólica, mas a sua beleza reside na força do amor dos protagonistas que vem desde a infância. Uma história que remete às histórias de amor clássicas onde o amor transcende as barreiras do que é possível explicar e é um sentimento tao forte e belo que é capaz de comover até mesmo os corações mais duros.

A escrita é delicada e cheia de sensibilidade, o livro pode ser lido rapidamente devido a forma fluida que a autora utiliza para compor seu enredo. Uma história que tinha tudo para ser triste, mas se mostra bela e confortante, seus elementos bem dosados conferem um equilíbrio a obra que enche de esperança e encanta. "Mil beijos de garotos" superou as minhas expectativas que a princípio seria apenas mais um romance voltado para o público adolescente e que muito pouco viria acrescentar algo em minhas experiencias literárias e para a minha surpresa me encantei e emocionei ao longo de suas páginas. O enredo é simplista mas ainda assim consegue alcançar seu objetivo. Fiquei muito feliz de ter tido a oportunidade de lê-lo e recomendo-o a todos que gostam de um velho e bom romance que remete aos clássicos da sessão da tarde e jamais deixam de encantar.

››

José Olympio

Um Rascunho Indica: O sol é para Todos

19 novembro


Olá leitores, primeiro quero pedir desculpa em nome de toda a equipe do blog Um Rascunho a Mais pela nossa ausência, estamos passando por um período de reajustes aqui no blog, por isso não estamos postando a quantidade de resenhas habitual, mas aos poucos estamos retornando a rotina e em breve teremos muitas novidades por aqui, como essa nova coluna de indicações. Aqui iremos falar dos livros de uma forma diferente do que colocamos em nossas resenhas, de forma breve e informal. Nosso objetivo é relembrar leituras que nos marcaram de forma única e quem sabe despertar o interesse de outros leitores. 

Título: O sol é para todos
Autora: Harper Lee
Editora: José Olympio
Ano: 2015
Páginas: 364

A primeira indicação é de um livro que tem um tema forte e mesmo que seu lançamento tenha sido na década de 1960 é um romance que deve ser sempre lembrado e amplamente divulgado. Harper Lee em "O sol é para todos" (To Kill a Mockingbird) retrata através do olhar sensível de uma criança o julgamento de um homem negro, acusado injustamente de ter estuprado uma mulher branca. É triste pensar que mesmo depois de tantos anos o tema se mantém atual, dói pensar que injustiças como essa continuam acontecendo devido ao preconceito racial e social. Vou listar cinco motivos para ler o Sol é para todos.

1) O livro é narrado do ponto de vista de uma criança.
As crianças nascem despidas de preconceitos e ao longo da vida a sociedade passa a inseri-los nelas, seja na escola ou na educação ministrada em casa. Scout a narradora desse livro tem um olhar sensível e uma perspectiva totalmente pura de toda a situação, o que confere uma magnitude ao livro e deixa-o ainda mais envolvente. 

2) O livro é ganhador do prêmio Pulitzer.
Não sou nenhuma especialista em prêmios da literatura e tão pouco leio apenas livros que foram premiados, mas até o momento só tive experiências boas relacionadas a livros ganhadores do prêmio Pulitzer. 

3) É um clássico com linguagem acessível.
Esse é outro aspecto que é favorecido pelo fato da narrativa ser feita da perspectiva de uma criança, a escrita é fluida e cativante. Para quem evita os clássicos por ter medo de ser uma leitura difícil, sem dúvidas irá mudar de conceito após ler "O sol é para Todos".

4) A forma como Atticus educa seus filhos é surpreendente.
Atticus é o advogado responsável por defender Tom Robinson, como já se pode imaginar ele acaba não sendo bem visto pela sociedade por aceitar essa defesa. A forma como lida com toda a situação é engrandecedora e como educa seus filhos é ainda mais incrível. A educação de Scout é além do seu tempo, ele não faz diferenciação pelo fato dela ser menina e ensina-a a ter pensamento crítico e opinião própria.

5) Personagens reais.
Não tem nada pior do que ler um livro no qual os personagens não são bem desenvolvidos, que não parecem ser reais e com diálogos superficiais. Os personagens de "O sol é para todos" são humanos, com características próximas da realidade, são conviventes em seus diálogos.

Esses são alguns dos pontos que me chamaram a atenção durante a leitura. Aqui no blog tem disponível a resenha, basta clicar aqui para acessá-la. Deixe nos comentários sua opinião, sugestões, etc., ficarei muito feliz em saber a opinião de vocês.
››

Paralela

Resenha: Coração Granada

12 novembro

Titulo: Coração-Granada
Autor: João Doerdelein
Editora: Paralela
Ano: 2018

Sempre considerei muito difícil falar de livros de poesias, falar de sentimentos é algo tao único que em hipótese alguma conseguirei descrever de forma nítida a mensagem que o autor quis passar em seu livro. Porém, consigo expressar um pouco do que sentir durante a leitura e creio que essa experiencia por si só pode ajudar outros leitores a buscar um livro de poesia para ler. Preciso começar confessando que estou viciada em ler livros do gênero, sempre que encerro uma leitura logo começo outra de poesia, foi assim que cheguei em "Coração-Granada" do João Doederlein ou como é mais conhecido no instagram @akapoeta.

Em pauta um tema que não é tao usual na literatura, a ansiedade. É difícil lidar com a tempestade que acompanha as crises de ansiedade em um mundo onde tudo é urgente, onde as pessoas tem milhares de amigos nas redes sociais e ao mesmo tempo possui pouquíssimas pessoas com quem pode de fato contar para olhar nos olhos ou simplesmente contar sobre como foi o seu dia. Junto com tudo isso ainda é necessário lidar com rejeições e amores não correspondidos. É impossível não se transportar para dentro do livro e sentir como se as palavras se encaixassem como uma luva para o nosso dia-a-dia.

A sinceridade como o autor aborda os dois temas centrais da trama, o amor e a ansiedade, é surpreendente e corajosa. O autor se expõe mostrando uma maturidade que é construída aos trancos e barrancos após grandes decepções e como a ansiedade muitas vezes toma conta dele. Comecei a leitura de forma tímida e de repente estava totalmente imersa nas palavras de @akapoeta e procurando mais poemas. Dos pequenos aos mais extensos todos dotados de muito sentimento, os verbetes que são colocados ao longo do livro complementam e enriquecem a leitura. Uma escrita fluida e de fácil entendimento, não é por acaso que seu instagram conquistou mais de um milhão de seguidores.

"Coração-Granada" surpreende pela delicadeza e a força que as palavras ganham ao descrever sentimentos tao comuns e situações pelas quais todos uma hora ou outra já passou ou mesmo irá passar. É um processo de amadurecimento constante retratado de forma de poesia o ressignificados de verbetes que vale a pena tomar conhecimento, mesmo pelos leitores que não estão tão habituados em ler poemas.


››

Harper Collins

Resenha: Sou Péssimo em Inglês

09 novembro

Título: Sou Péssimo em Inglês
Autora: Carina Fragozo
Editora: Harper Collins
Ano: 2018
Páginas: 138
Classificação: 

Já tem uns dois anos que acompanho o canal da Carina Fragozo, e fiquei super animada quando fiquei sabendo do lançamento do livro. Já tem algum tempo que venho lendo em inglês, inclusive já dei dicas de livros no blog e hoje posso dizer que mesmo tendo muito pra aprender ainda já que o inglês é uma língua que está constantemente em mudança, posso dizer que me sinto feliz pelo que já alcancei.

De uma forma bem dinâmica, Carina propõe em cinco capítulos, diferentes formas de estudar o idioma, com dicas para quem não sabe por onde começar até para quem já está mais avançado e não percebe mais os aprendizados. Em cada capítulo há diferentes dicas, com foco em treinar o listening, speaking, reading e writing.

Não é um livro de ensino da língua inglesa, mas sim como aprendê-la, iniciando pelas metas do que se quer alcançar ao estudar o idioma, até como mantê-la sem precisar sair do Brasil. De fato, aprender a estabelecer esses objetivos podem fazer uma diferença imensa no aprendizado, mas acima de tudo é preciso iniciar e tomar uma atitude em relação à organização do tempo para que ocorra de forma diária.

Carina traz exemplos de sua história enquanto aprendia o inglês e a maioria das dicas dadas para o aprendizado eu já conhecia por acompanhar o canal. Além disso, ela relata pesquisas sobre diferentes formas de aprender, como está o ensino hoje no país, sobre a pronúncia, idade e tantas outras.

Sou Péssimo em Inglês foi uma grata surpresa e uma leitura incrível, que serve como um guia para todos aqueles que querem estudar o inglês. Não dá pra ler somente uma vez, tem que consultar de vez em quando para melhorar as habilidades que estão sendo desenvolvidas. É uma leitura que recomendo para todos aqueles que querem iniciar seus estudos, mas ainda se sentem perdidos. Para aqueles que acompanham o canal dela assim como eu, podem ser que conheçam a maioria das dicas, mas quem ainda não assistiu aos vídeos, esse livro pode tirar todas as dúvidas. Vale a pena a leitura!

››

Best Seller

Resenha: Os números do amor

07 novembro

Título: Os Números do Amor
Autora: Helen Hoang
Editora: Paralela
Ano: 2018
Páginas: 280

Eu não sou uma leitora ávida por livros com conteúdo adulto, mas como estou sempre em busca de leituras que sejam de fato gratificantes independente do gênero, vez ou outra me aventuro em gêneros diferentes. Foi assim que comecei a leitura de “Os números do amor” e gostei muito da leitura. 

Stella a protagonista desse livro é bem sucedida e diagnosticada com transtorno do espectro autista. A começar por esse ponto a autora já ganhou pontos significativos comigo porque a maioria dos livros do gênero traz um CEO ou um cara muito rico que pode comprar o universo e em contrapartida a mocinha é uma mulher insegura sendo conquistada por ele. Stella tem suas inseguranças, afinal, ela não tem nenhum traquejo social, mas ela faz o seu trabalho com uma paixão admirável e se mostra muito inteligente (pois unir algoritmos e matemática não é algo simplório). Para superar a sua aversão a sexo e sua total falta de traquejo social ela contrata Michael, um acompanhante profissional, para ensiná-la a superar esse obstáculo. 

Michael não é acompanhante porque gosta da profissão e sim porque precisa do dinheiro para ajudar a sua família. Ele tem seus traumas do passado, mas tão logo se vê envolvido e encantado por Stella. O que era para ser o trabalho de uma noite vira um acordo mais extenso e os dois acabam tendo que lidar com sentimentos conflitantes à medida que vão se conhecendo melhor. 

Ler um gênero que não faz parte da minha lista de leituras habituais me mostra o quanto a leitura é democrática e como devemos despir de preconceitos literários. Achei o livro muito bem estruturado e a forma como o espectro autista foi retratado nesse livro se mostrou sincera e bem elaborada. A fidelidade veio do fato da autora ter sido diagnosticada já na fase adulta com o espectro do autismo, antes conhecida como síndrome de Asperger. 

Na contracapa traz um comentário de outra autora que classifica o livro como engraçado, triste e comovente, preciso concordar com a declaração feita por ela o livro traz a tona todos esses sentimentos. Em muitos momentos o livro traz situações divertidas e em outros sentimos a aflição dos personagens e quão difícil é para eles vencerem o próprio passado em prol do amor que sentem um pelo outro. Outro ponto que preciso mencionar é o quanto a escrita da autora é fluida, mal percebi as horas passando enquanto lia. 

A leitura se mostrou de fato agradável e recomendo para todos que gostam do gênero e para pessoas que assim como eu sempre se mantém abertos a novas experiências literárias, até porque vale ressaltar mais uma vez que o livro é classificado com conteúdo adulto.

››

Galera Record

Resenha: O Problema do Para Sempre

05 novembro

Título: O Problema do Para Sempre
Autora: Jennifer L. Armentrout
Editora: Galera Record
Ano: 2017
Páginas: 392

Falar sobre negligência de crianças e sobre um sistema de adoção falido não é uma tarefa fácil e é uma realidade do mundo afora. Os traumas e as dores que as crianças podem levar consigo ao longo da vida ultrapassam as barreiras inimagináveis e é esse tema que é abordado no livro "O problema do para sempre". Narrado por Mallory Dodge, uma garota que precisou se manter calada durante a infância para se manter viva, o quão menos ela chamava a atenção para si mais se encontrava em segurança.

Mallory passou por um infância traumatizante, em que a única pessoa com quem podia contar era um menino que também havia sido adotado pela família a qual o negligenciava. Eles sobreviviam comendo restos de alimentos e sofriam agressões constantemente. Após mais um evento de negligência, aos treze anos, Mallory foi levada a um hospital vítima de queimaduras. O acontecimento mudou a sua vida totalmente e permitiu que encontrasse um lar de verdade.

Quatro anos após o terrível acontecimento que mudou de vez a vida de Mallory, ela está prestes a voltar frequentar uma escola e com novos desafios para vencer. Ela tem dificuldade para socializar com outras pessoas e mal consegue trocar palavras com eles. O que ela não esperava do primeiro dia de aula é que encontraria um velho conhecido na escola, mas ela precisa ainda encarar os fantasmas do passado e se preparar para os novos sentimentos que estão prestes aflorar.

Para quem gosta do Colleen Hoover provavelmente irá gostar da escrita de Jennifer Armentrout. A autora é muito conhecida aqui no Brasil pela saga Lux (literatura fantástica), mas que eu não fazia ideia que escrevia dramas como esse e para minha surpresa o livro me agradou bastante. De forma dinâmica a personagem principal vai ganhando vida e força, durante uma leitura agradável e ao mesmo tempo que nos leva a questionar como o sistema de adoção ainda pode ser tão falho. Por outro lado tem uma história de amor que sobrevive a todo esse caos e que merece ser vivida.

Enfrentar traumas não é uma tarefa fácil, são diversas barreiras para transpor e não é possível apagar o passado. Reencontrar o encanto que ficou perdido durante uma dura infância e voltar a acreditar no amor é ainda mais difícil. A forma como Mallory aos pouco vai passando por todos os acontecimentos e como ela comemora cada obstáculo vencido é bem desenvolvido e cada vitória dela me deixava feliz. Como ponto negativo eu deixo só uma ressalva que eu esperava que a autora aprofundasse mais no passado dos personagens, mas ainda assim a leitura superou as minhas expectativas e o saldo final foi positivo e provavelmente darei a chance para mais livros da autora.

Se você já leu algum livro da autora me conta nos comentários, vou adorar saber a opinião de vocês.
››

Sobre Livros

Vamos ler em Inglês: Dicas de Livros

02 novembro


Olá pessoal, tudo bem?
Hoje a postagem é um pouco diferente, pois resolvi indicar 2 livros que li em inglês e gostei bastante. Já fiz algumas postagens sobre o idioma aqui no blog, mas essa é a segunda falando um pouco sobre os livros que li. As dicas que darei aqui são de livros do nível pré-intermediário e intermediário, então para quem gosta de ler nesse idioma, pode se jogar nas leituras que vale muito a pena!

From Notting Hill with Love… Actually - Ali McNamara
Li esse livro no início desse ano e ele entrou para a minha lista de favoritos e não há dúvidas de que estará também entre as dez melhores leituras! Sabe aquele livro que tem uma trama para fazer você suspirar e se encantar pelos cenários e personagens? From Notting Hill with Love… Actually têm tudo isso e muito mais. Scarlett é apaixonada pelos filmes, atores, cenas e guarda muitos desses momentos em sua memória. Inclusive ela acredita que a vida real pode reproduzir esses momentos, mesmo que o seu noivo e o seu pai sejam contrários a essa ideia. O cenário de fundo dessa trama é  Notting Hill, e é lá onde Scarlett vai passar um tempo para tentar provar para aqueles que estão próximos que a vida pode imitar o cinema e é impossível não se divertir com esses momentos. Em comparação com a maioria dos chick lits, esse tem uma linguagem bem simples e é maravilhoso para treinar o idioma, além de conhecer ou relembrar ótimos filmes!

Finding My Prince Charming - J. S. Cooper

 

Eu já havia começado esse livro uma vez, mas como o meu inglês ainda estava bem básico, não consegui sair das primeiras páginas. Ao pesquisar livros New Adult para ler em outro idioma, lembrei dele e resolvi começar a leitura novamente, e dessa vez li em poucas horas. Finding My Prince Charming conta a história de Lola, que junto com a sua melhor amiga Anna, viajam para Londres para estudarem durante um semestre, no caso de Lola, História da Arte e Anna, Literatura. Porém essa viagem aguarda muito surpresas quando Lola conhece Xavier, com quem ela passa uma noite, e mais tarde descobre que ele é seu professor e príncipe de um pequeno país. Ao contrário das outras dicas aqui, esse livro não foi uma leitura surpreendente, talvez pelo excesso de clichês e antipatia dos personagens. Ainda assim, não dá pra negar que para quem quer treinar o idioma, é uma boa sugestão.



››

Facebook