Olá pessoal, tudo bem?
O mês de setembro está chegando ao fim, mas não poderia deixar de compartilhar com vocês a minha lista de desejados. Tem muitos livros incríveis e foi difícil selecionar apenas esses. Então, vamos conferir?


Eu estava com vontade de ler esse livro desde que eu vi o lançamento no Goodreads. A editora manteve a capa original e o mais interessante é que o livro é a história de uma cantora, um pouco diferente da maioria dos livros que costumo ler.

Sinopse: A cantora premiada e ícone do pop Lily Ross apresenta seus maiores hits e piores foras (porque para ela são sinônimos):
1. Agonia (O que sentiu quando o ex partiu seu coração em pedacinhos e ela nem sabia o que estava acontecendo.)
2. Fantasmas (Porque até pessoas famosas sofrem com namorados que simplesmente desaparecem. E é horrível da mesma forma.)
3. Gato Escaldado (Do ditado: “tem medo de água fria”. Ou seja, ela nunca mais vai sair com um ator ou músico na vida.)
Mas este verão será diferente. Depois de ter seu coração partido mais uma vez, Lily precisa se afastar dos holofotes, e uma viagem com as melhores amigas parece perfeita. Três meses em uma ilhota perdida no litoral do Maine, com foco total em si mesma, sua música, seu novo disco... Tudo menos garotos. Isto é, até que Lily conhece Noel Bradley, um cara doce, simples e completamente diferente de todos os homens com quem ela já saiu. De repente, o “verão da Lily” dá um giro de cento e oitenta graus, e ela se vê envolvida em uma paixão de verão arrebatadora e inesquecível. O problema é que Noel não está interessado na vida de celebridade, e embora Lily o ame, ela também ama sua música, sua vida e seus fãs. Mais cedo ou mais tarde, ela vai ter que escolher...


Mais um sucesso da Jojo e eu não podia deixar de colocar em minha lista de leitura. Gostaria de ler mais um livro da autora antes do ano acabar e gostaria que fosse esse.

Sinopse: Na juventude, Henri Lachapelle foi um cavaleiro de raro talento, entre os poucos admitidos na academia de elite do hipismo francês, o Le Cadre Noir. Contudo, reviravoltas da vida o levaram da França a Londres, onde ele agora vive em um simples conjunto habitacional. Sem nunca abandonar o amor pela antiga carreira, aos trancos e barrancos Henri ensina a neta, Sarah, a montar o cavalo Boo, na esperança de que o talento da dupla seja o passaporte para uma vida melhor e mais digna para todos. Mas um grande golpe muda mais uma vez os planos de Henri Lachapelle, e Sarah se vê entregue à própria sorte, lutando para, além de sobreviver, cuidar de Boo e manter os treinamentos.Natasha é uma advogada especializada em representar crianças e adolescentes envolvidos com crimes ou em situação de risco. Abalada emocionalmente e em dúvidas quanto a seu futuro profissional depois de um caso terrível, Natasha ainda tem de lidar com as feridas do fim de seu casamento. Um fim, diga-se de passagem, bem inusitado, já que ela se vê forçada a morar com o charmoso futuro ex-marido enquanto esperam a venda da casa da família. Quando Sarah cruza o caminho de Natasha, a advogada vê na menina a oportunidade de colocar a vida de volta nos trilhos e decide abrigar a adolescente sob o próprio teto. O que ela não sabe é que Sarah guarda um grande segredo que lhes trará sérias consequências. 
Colleen Hoover sem dúvidas é uma grande autora que consegue despertar as mais variadas emoções em seus leitores. Depois de ler tantos comentários a respeito dessa obra, não poderia deixar de colocar na minha lista de desejados. Espero que seja uma leitura tão incrível quanto os outros livros que li dela.

Sinopse: Autora número 1 da lista do New York Times retorna com uma história de amor inesquecível entre um aspirante a escritor e sua musa improvável.Fallon conhece Ben, um aspirante a escritor, bem no dia da sua mudança de Los Angeles para Nova York. A química instantânea entre os dois faz com que passem o dia inteiro juntos – a vida atribulada de Fallon se torna uma grande inspiração para o romance que Ben pretende escrever. A mudança de Fallon é inevitável, mas eles prometem se encontrar todo ano, sempre no mesmo dia. Até que Fallon começa a suspeitar que o conto de fadas do qual faz parte pode ser uma fabricação de Ben em nome do enredo perfeito. Será que o relacionamento de Ben com Fallon, e o livro que nasce dele, pode ser considerado uma história de amor mesmo se terminar em corações partidos?



Depois de me encantar pelo primeiro livro dessa série (a resenha completa está disponível aqui), fiquei empolgada para ler o segundo, já que romance histórico é um dos meus gêneros favoritos. A escrita da Sarah é cativante e não tem como parar de ler quando entramos na história.

Sinopse: “Uma história arrebatadora, sensual e comovente, que não deixa nada a dever ao primeiro livro. Os personagens nos conquistam e o ritmo perfeito da trama, junto com os diálogos magistrais, multiplica o prazer.” – Romantic Times Book ReviewsIsabel Townsend não é exatamente o que se espera da filha de um conde. Apesar de ter a pele delicada e de saber se portar como uma dama quando necessário, a jovem também monta a cavalo, conserta telhados, administra a propriedade e cria o irmão caçula desde que a mãe faleceu – tudo isso sem despertar a menor suspeita de que não há um homem sequer para cuidar de sua família.
Para o pai dela, que só queria se divertir e gastar dinheiro em jogatinas, pouco importava o que ela fizesse. Porém, quando ele morre, Isabel se vê sem recursos e precisa defender os direitos do irmão, ameaçados pela chegada iminente de um tutor. Assim, não lhe resta saída senão vender sua coleção de estátuas de mármore, o único bem que herdou.
Para sorte sua, um especialista em antiguidades acaba de chegar ao condado. Inteligente e sensual, lorde Nicholas St. John é um solteiro convicto que deixou Londres para se livrar das jovens que passaram a persegui-lo desde que foi eleito um dos melhores partidos da cidade.
Em poucos dias, fica claro para Nick que Isabel é a mulher mais obstinada e misteriosa – além da mais interessante – que já cruzou seu caminho. Ao mesmo tempo, ao conhecê-lo melhor, a independente Isabel percebe que há homens em que vale a pena confiar. Enquanto eles põem de lado suas antigas convicções, seus corações se abrem para dar uma chance ao amor.

Mais um livro dos meus desejados no Goodreads que estão sendo publicados no Brasil. A história parece ser bem fofa com um romance leve. Sem dúvidas, já está na minha lista de leitura!

Sinopse: Durante dezenove dias, Fisher e Ivy vivem uma relação idílica e são praticamente inseparáveis. É claro que os dois sabem que estão destinados a ficar juntos para sempre, e o fato de se conhecerem tão pouco é apenas um detalhe. Nos doze meses seguintes, período em que suas vidas mudam radicalmente, Fisher e Ivy percebem que se apaixonar é uma coisa, mas manter uma relação é algo completamente diferente. “Nós dois” é um romance honesto e emocionante sobre a vida, o amor e a importância de dar valor a ambos.

 Bom, esses foram os livros que selecionei para o mês de setembro. E vocês, quais são os seus desejados? O que acharam dos lançamentos deste mês? Conta aqui nos comentários, vou amar conhecer um pouco mais da lista de leitura de vocês.





››


Ultimamente tenho procurado variar um pouco mais as minhas leituras e ler outros gêneros. Então quando a Editora Autografia sugeriu esse livro, fiquei bem empolgada porque apesar de saber que a leitura seria autobiográfica e informativa, seria uma nova experiência, e posso dizer depois de concluí-la, muito significativa.
Em Chegou a Hora de Mudar, Bea Hasegawa narra de forma bem simples sobre a sua decisão de fazer a cirurgia bariátrica, como foi durante esse tempo e a vida nova depois dessa mudança. Através do incentivo da psicóloga, ela começou a fazer anotações no período antes da cirurgia e logo depois.
Bea tem tendência a obesidade, e durante muito tempo procurou justificá-la com a genética. Durante muitos anos ela sentiu-se mal com o seu corpo e por mais que tentasse se convencer que poderia viver como as pessoas magras, ela tinha o sonho de perder peso e estar bem consigo mesma. E é a partir dessa vontade que ela decide fazer cirurgia bariátrica para realizar essa mudança. Como Bea sempre gostou de ler e tinha muitas dúvidas a respeito da cirurgia, ela não hesitou em pesquisar tudo o que ela precisava saber para que se sentisse segura.
Chegou a Hora de Mudar é um livro surpreendente que pode ajudar muitas pessoas que estão em dúvida em relação a cirurgia bariátrica. Através da sua experiência, Bea compartilha suas motivações, incertezas e dúvidas diante dessa nova página escrita em sua vida. Não é uma mudança tão fácil de ocorrer, ela tem que ser construída todos os dias e exige da pessoa a força de vontade necessária para continuar, mas todo esforço tem o seu resultado. E o mais importante é estar bem consigo mesmo.
Não é nenhum segredo que a nossa sociedade tenta implantar um ideal de beleza e quem não se encaixa sente-se excluído. Em sua narrativa, Bea também conta como é difícil viver acima do peso em um mundo que idolatra quem está dentro do padrão.
A diagramação é simples e possui algumas ilustrações que ajudam a compreender melhor a cirurgia. As folhas são amareladas de papel pólen e a leitura é bem rápida sendo informativa e ao mesmo tempo bem pessoal, pois não conta só a cirurgia, mas também a mudança da autora.


Esse é um livro que recomendo para quem deseja fazer a cirurgia bariátrica e ainda está em dúvida e também para quem já fez e acredita que ainda pode melhorar. Sem dúvidas, Bea vai te ajudar, mas não se esqueça que essa mudança depende também de você!

››



Quando comecei a assistir “Arrow” há alguns anos atrás não imaginava o quanto eu iria gostar da série e muito menos que hoje estaria caminhando para a quinta temporada acompanhando todos os episódios com fidelidade. Eu não conhecia muito sobre o personagem principal, somente o que foi apresentado pelos desenhos e pelo seriado Smallville e para a minha surpresa o seriado partiu do zero em certos aspectos e acabou criando novos personagens, adicionando personalidades diferentes e criando novas histórias. Para quem está em dia com o seriado sabe como a imagem do Arqueiro foi construída aos poucos, a princípio ele ficou conhecido como Vigilante, depois como Capuz, seguindo como Arqueiro e o mais recente como Arqueiro Verde.
O livro “Arrow: Heróis e Vilões” do autor Nick Aires é um guia que irá auxiliar quem é fã do seriado a compreender/conhecer melhor todos os personagens apresentados na primeira e segunda temporada de “Arrow”. O livro é dividido em quatro sessões, são elas: Introdução, Heróis, Vilões e Esquadrão Suicida.
Na introdução é explicado por que os criadores optaram dentre os heróis da DC Comics criar uma série sobre o Arqueiro Verde. São apresentados ainda os motivos pelos quais modificaram em alguns pontos a trama proposta pelos quadrinhos, claro sem remover a essência da série.
Nas sessões seguintes são apresentados os personagens, qual o papel deles na trama, como foram introduzidos na série e relacionamentos com outros personagens. Outro ponto positivo é que para cada personagem é apresentado um quadro de resumo com os seguintes dados: quem interpreta, pseudônimo, condição atual (morto ou vivo), relacionamentos (irmão, cônjuge, namorado, etc.) e histórico nos quadrinhos. Esse último eu achei interessantíssimo pois muitos personagens ainda são exclusivos da série e outros são diferentes do que é apresentado nas HQ’s nos permitindo saber quando apareceram pela primeira vez e assim assimilar as principais diferenças com os personagens do seriado.
Eu gosto bastante da divisão apresentada no livro já que no seriado vamos tomando conhecimento da vida de Oliver Queen (o Arqueiro) de forma gradual, a série mescla cenas da vida dele antes de sofrer o naufrágio com o que aconteceu tanto na ilha quanto depois do seu retorno a Starling City. A forma como o livro foi organizado ajuda a fixar ainda mais esse processo de transição que Oliver vive no seriado, a princípio ele não é como os outros heróis que estamos habituados, pois ele carrega dentro de si tanto o bem e o mal e se for preciso ele é capaz até mesmo de matar.

A edição do livro está simplesmente sensacional, além de biografias bem escritas e detalhadas o livro conta com fotografias lindas e papel de ótima qualidade. Eu fiquei por horas somente admirando a arte do livro. Sabe aqueles livros que dão orgulho de ter na estante e que queremos mostrar para o mundo? Esse livro é assim, uma edição que vale a pena ter.



Recomendo a leitura para todos os fãs do seriado, porém chamo a atenção para o fato de que o livro pode conter alguns spoilers da série se ainda não tiver assistido a primeira e a segunda temporada por completo. Eu aproveitei para realizar a leitura no recesso da quarta para a quinta temporada, assim pude relembrar muitas histórias passadas e a medida que ia lendo sobre os personagens eu assistia alguns episódios que os mesmos aparecem em destaque, já que ao longo das biografias é indicado em qual episódio tais fatos aconteceram. Portanto, se você gosta da série e tem interesse em ir mais a fundo nesse universo você não pode deixar de ler esse guia.



Onde comprar: Saraiva, FNAC, ShopTime
››




A menina que não sabia ler” do autor John Harding é um livro envolvente e cheio de mistérios que tive contato há alguns anos atrás. O autor utiliza em sua narrativa elementos de suspense que instigam o leitor, induzindo-os por um caminho longe do óbvio e por vezes um tanto perturbador. Quando soube que teria uma continuação dessa história vi meu interesse em saber mais sobre a jovem narradora do primeiro volume, Florence, se reacender e assim que tive a oportunidade eu o li. Mais uma vez me vi fisgada pela escrita de John Harding e me peguei elaborando novas teorias a respeito sobre as situações apresentadas nesse novo volume.
No segundo volume o narrador é um homem misterioso que se apresenta como Dr. John Sherphed, um jovem médico que irá auxiliar o Dr. Morgan no tratamento de pacientes de uma clínica psiquiátrica para mulheres que fica isolada em uma ilha. Sherphed pretende recomeçar a sua vida do zero e acredita está tendo uma segunda chance após sobreviver a um acidente de trem um pouco antes de se encaminhar para trabalhar no hospital.
A história do livro é ambientada em uma época em que os portadores de doenças mentais eram submetidos a tratamentos cruéis como banhos de água fria e contenções durante horas ou mesmo dia. Se acreditava que não existiam métodos eficazes para curá-los, ou amenizar os efeitos de suas doenças, portanto eram considerados um verdadeiro transtorno tanto para sociedade quanto para a família. A “melhor” opção era interná-los em clínicas onde passariam o restante de suas vidas.
Sherphed assim que chega a ilha fica chocado com o tratamento que é oferecido às pacientes. Quando toma conhecimento de um método chamado Tratamento Moral, uma terapia totalmente diferente da difundida na clínica, começa a argumentar sobre com o Dr. Morgan que acaba cedendo uma paciente para que Sherphed experimente as técnicas dessa terapia. A paciente escolhida é uma jovem que alega ter perdido a memória e que costuma inventar palavras, seu nome é Jane Pomba, mas já a conhecemos como Florence narradora do primeiro volume da série.
Nem tudo são flores e logo acontecimentos misteriosos começam a ser apresentados na trama, todo mundo tem segredos e nem tudo de fato é o que parece ser. A medida que fui me aprofundando na história logo me vi envolvida tentando desvendar todos os mistérios apresentados. O passado do Dr. Sherphed vai se revelando de forma gradual, ao mesmo tempo em que ele se propõe a descobrir os segredos do Dr. Morgan.
Eu esperava encontrar mais respostas em relação ao que aconteceu com Florence após o primeiro livro, mas não as encontrei e isso não é spoiler já que a narrativa é feita pelo Dr. Sherphed e não por ela. Florence é uma incógnita tanto para Sherphed quanto para o leitor e mais uma vez algumas respostas se encontram nas entrelinhas do livro. A sensação ao terminar a leitura é de um milhão de possibilidades a serem exploradas e me resta ficar na torcida para ter uma sequência narrada pela Florence.
A edição do primeiro volume para o segundo apresenta algumas diferenças, meu primeiro volume é edição econômica, lembro que na época que comprei só tinha essa opção, a segunda edição por sua vez apresenta orelha e o papel é amarelado, tem uma pequena diferença no tamanho e a fonte adotada na lombada é diferente. A capa das duas edições é bem atrativa e convidativa.
É possível realizar a leitura sem ter conhecimento prévio do primeiro livro, porém indico que leia na ordem, pois assim o leitor poderá ter uma ideia melhor sobre quem Florence (Jane Pomba) e assim se preparar para o que pode vir a acontecer. Os personagens são bem construídos, tem personalidades fortes e conduzem o leitor a suspeitar do que de fato é verdade e qual é a verdadeira intenção de cada um.
A leitura é rápida e fluida, as descrições e construções de cenas são bem elaboradas e passam longe de ser cansativas. A escrita do John Harding é muito boa e vale a pena conhecer. Indico a leitura para todos que gostam de literatura gótica que utiliza suspense, imaginário sobrenatural e terror psicológico.

››



Resenhas: O Orfanato da Srta. Peregrine Para Crianças Peculiares | Cidade dos Etéreos
Biblioteca de Almas” é o terceiro e ultimo livro da série “O Lar da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares” do autor Ransom Riggs. Eu gostei bastante da série, os livros são repletos de aventuras, momentos de tensão, muita peculiaridade e algumas bizarrices. As fotos, o contexto, a ambientação e a ação se complementam em todos os livros e encerram a história com louvor.
As Ymbrynes junto com as crianças peculiares foram sequestradas pelos acólitos. Esses possuem objetivos perversos para se tornarem poderosos e assim dominar o mundo peculiar, cabe ao Jacob Portman, Emma Bloom e o cachorro peculiar Addison McHenry usar suas habilidades para evitar que isso aconteça. Jacob além de ver os etéreos, começa a desenvolver novas habilidades, porém não há tempo para treinamento, a vida dele e dos amigos depende quase exclusivamente de sua nova habilidade. Emma tem o poder de produzir fogo e Addison além de ser um cachorro que fala, ele tem uma grande habilidade para rastrear peculiares. Juntos irão se aventurar no Recanto do Demônio, uma fenda temporal que abriga os mais diversos tipos de peculiares, uma terra sem lei e dominada por escravagistas de peculiares.
O terceiro volume da série vai ainda mais a fundo sobre as histórias dos peculiares e dos acólitos, ao longo do desenvolvimento são apresentados novos personagens bem interessantes e que vivem marginalizados no mundo peculiar. A nova fenda temporal é totalmente diferente do que é mostrado nos livros anteriores, não é um local seguro ou bonito, seus habitantes são não maioria peculiares sem escrúpulos, muitos vivem na miséria, são viciados, piratas, ou até mesmo exilados que não seriam aceitos em nenhuma outra fenda que não fosse o Recanto do Demônio. Tendo em vista isso Jacob, Emma e Addison não sabem em quem devem confiar e precisam bolar um plano rápido para resgatar os amigos no covil dos acólitos antes que seja tarde demais.
 Os capítulos iniciais começam com um ritmo bom, acompanhado com cenas de ação e descobertas, em seguida eu tive a impressão que o ritmo diminui um pouco até que os personagens começam a se aventurar pelo Recanto do Demônio e aí mais uma vez a história alcança um bom ritmo. Em suma a leitura é extremamente ágil, me vi envolta de universo que ao mesmo tempo é bizarro e encantador, em grande parte fiquei ansiosa e nervosa pelos personagens.
A narrativa em primeira pessoa realizada pelo Jacob em nenhum momento fica cansativa. O personagem apresenta incertezas compatíveis com a idade, ele se ver dividido entre a vida antes e após descobrir sua peculiaridade. O que é perfeitamente compreensível sendo que antes ele levava uma vida pacata e em poucos dias seu mundo vira de cabeça para baixo e ele precisa lidar com peso da responsabilidade de precisar salvar os amigos, as experiências e incertezas do primeiro amor, a perda do avô e a distância que precisa manter dos pais.
A forma como a guerra se desenvolve é ótima, as batalhas são bem construídas, os momentos de tensão bem distribuídos, o que culminou em um desfecho satisfatório e com algumas surpresas. Achei as decisões finais bem acertadas e compreensíveis, algumas questões ficaram no ar, mas nada que de fato atrapalhasse o contexto geral.
Em relação a edição, mais uma vez está maravilhosa. O livro é capa dura e acompanha jacket assim como o segundo volume da série. As páginas são coloridas, impresso em papel pólen (folhas amarelas), fonte e espaçamento entre as linhas adequados. As fotos ao longo do livro complementam bem e permitem que o leitor tem uma ideia melhor da cena.

Mesmo encerrando a leitura com algumas dúvidas e achando que algumas pontas faltaram ser amarradas, não foram empecilhos para que eu desgostasse da série, pelo contrário achei o desfecho satisfatório, atendeu bem as minhas expectativas (que não eram baixas). Essas dúvidas e pontas se referem ao universo em questão o que acaba deixando a opção para o autor continuar escrevendo sobre o mundo peculiar. Quem sabe não somos presenteados com mais histórias peculiares? Não custa sonhar. Indico para todos que gostam de ficção fantástica. 

››


Essa postagem será um pouco diferente, pois irei falar um pouco sobre um tema polêmico que é preconceito literário em torno dos livros do Dan Brown e em seguida irei falar sobre o filme que será lançado ainda esse ano Inferno. Sim, eu gosto dos livros dele, mesmo com muitas pessoas afirmando que ele usa a mesma fórmula em todos, ainda assim são livros que prendem a minha atenção que me fazem pesquisar mais sobre determinados temas, obras de arte, simbologia e quando vejo estou totalmente imersa no universo criado por ele que é rico em descrições.
Em alguns momentos o autor tem uma narrativa um pouco cansativa é verdade, já que muitas vezes entra em detalhes que ao meu ver são desnecessários para o desenvolvimento do livro. Porém, em contrapartida os livros do Dan Brown por diversas vezes são a porta de entrada de leitores para uma literatura mais densa, é impossível não se ver instigado a ler a “Divina Comédia” de Dante Alighieri quando estamos lendo o livro Inferno. Outro aspecto que me chama a atenção é sem dúvidas a descrição bem elaborada dos locais onde os livros são ambientados, é possível imaginar perfeitamente visitando tais igrejas, ruas, museus, entre outros.
Acredito que toda leitura é válida se o leitor souber tirar proveito dela. É difícil encarar leituras mais densas se não houver um preparo prévio para isso. Além disso, é importante o leitor se ver interessado e instigado pela obra em questão e se não for o caso a leitura provavelmente será entediante, arrastada e desinteressada. Pode ser uma obra altamente elogiada pela crítica literária, mas se o leitor não estiver minimamente seduzido por ela não será uma experiência de leitura agradável. Portanto, mesmo com todo o preconceito literário existente se o leitor se ver interessado em ler a obra a leitura deve ser realizada sem se preocupar com a opinião de terceiros, se gostar ótimo, caso contrário deve seguir buscando outros títulos que o instiguem e despertem a sua curiosidade. Dessa forma, aos poucos o leitor terá um conhecimento maior do seu gosto literário e como consequência irá realizar leituras que irão agradá-lo mais.
Encerrando o tema polêmico, sigo ansiosa para assistir a adaptação do livro "Inferno" para as telonas. Tom Hanks irá encarnar novamente o professor Robert Langdon, que tem um físico que combina exatamente com a descrição feita no livro. Dessa vez o professor se encontra em Florença na Itália, porém não sabe como chegou lá, pois perdeu a memória recente. Ele acorda assustado em um hospital com um tiro na cabeça e logo em seguida sofre um novo atentado a sua vida, ele precisa fugir para se manter a salvo e para isso conta com a ajuda de uma jovem médica Sienna Brooks (Felicity Jones). Em posse de um objeto estranho Langdon precisa desvendar diversos códigos para impedir uma grande ameaça a população mundial.
Faz um tempo que li o livro , mas foi uma leitura envolvente que prendeu minha atenção do início ao fim, me surpreendi em alguns momentos e gostei bastante das cenas de ação. Dan Brown foi um dos autores que despertaram meu interesse em ler livros de suspense e acabou ganhando lugar cativo na minha estante.
Uma aventura eletrizante que conduz o leitor a reflexões sobre super população, biotecnologias e o futuro da humanidade. O leitor é ainda transportado pelas ruas de Florença e convidado a conhecer um pouco mais sobre a obra "A Divina Comédia". Segue o trailer do filme:
A minha intenção com essa postagem foi justamente deixar a mensagem de fim ao preconceito literário, cada pessoa ler o que tem interesse, ficar julgando e criticando a leitura de terceiros não faz ninguém melhor do que ninguém. Vamos respeitar a leitura das outras pessoas e ler o que de fato nos chama a atenção.
››



Eu estava bem curiosa para ler esse livro desde que o título e a sinopse me chamaram a atenção. Assim como em Alice no País das Maravilhas, aqui temos Alice, mas que terá que lutar muito para entrar na toca do Amor. Mas ao lado de um grande amigo e também da busca pelo conhecimento da sua própria vida, Alice no País do Amor é um livro que me trouxe muitas lições, me surpreendendo em muitos momentos.
Alice se apaixonou por Max desde os seis anos e ele tinha dezessete. Ao lado dele, ela sonhava viver um amor sincero em algum momento, mas nem sempre eles estavam próximos. Em um determinado momento, Alice ficou muito tempo sem vê-lo e só o reencontrou anos depois na faculdade de Direito, sendo Max o seu professor. Ainda assim, ela não o tinha esquecido. Porém, a vida de Alice fica de pernas pro ar quando ela descobre que Max gostava mesmo era de Helen, sua melhor amiga. Ela conhecia Helen desde pequena quando estudavam juntas e ao lado de Alan, eles formaram um trio inseparável. Depois de algum tempo juntos, Max e Helen estavam planejando o casamento e Alice não sabia o que fazer.
Para completar seus problemas,  Helen estava elaborando uma festa a fantasia e Alice não podia faltar. Para se sentir bem consigo mesma, Alice decide ir com a fantasia sexy de Alice no País das Maravilhas, mas o que ela  não esperava é que Max resolveu demonstrar o seu interesse por ela justamente na festa que sua melhor amiga estava organizando. E agora Alice não sabe o que fazer em relação aos sentimentos contraditórios no seu coração. Afinal, ela amava Max, mas também não podia abrir mão da sua amizade com Helen.
Alice no País do Amor é uma história bem real, com personagens imperfeitos, bem construídos e que vivem as angústia da vida cotidiana. Não é um conto de fadas, e mostra uma mulher que mesmo com quase trinta anos, ainda sonhava com o mesmo amor de criança, mesmo sabendo que ele estava longe do seu alcance. Ao seu lado, Alan é um grande amigo que faz de tudo para que Alice se sinta bem e não desanime independente das circunstâncias. É um personagem maravilhoso que me conquistou de imediato. Ele sabe valorizar a amizade e sempre esteve ao lado de Alice, ao contrário de Helen, que não me simpatizei na trama.
A escrita da Lucilla é fluida, marcante e apesar do clichê que acompanha  a narrativa, o que mais me chamou a atenção foi a reflexão dos personagens. Inicialmente encontrei uma Alice que ainda não estava preparada para os caminhos que a sua vida escolheria tomar, e aos poucos ela vai amadurecendo, conhecendo um pouco mais de si mesma. É impossível não falar quantas mensagens encantadoras encontrei dentro desse livro e na maioria delas um pensamento acerca da nossos sentimentos.
Portanto, se você procura uma leitura mais leve, real e ao mesmo tempo reflexiva esse é o livro que recomendo sem dúvidas!
 
››




É difícil falar de uma leitura que gostei tanto que parece ter roubado o meu chão. Mais uma vez Colleen Hoover demonstrou seu talento e habilidade na escrita ao trazer um New Adult que me tocou de uma forma tão profunda e pela primeira vez fiquei pensando no que o lado feio do amor pode fazer alguém se tornar. Não é só mais uma história, é também uma narrativa intensa cheia de segredos que vai te fazer pensar e se emocionar. Nem tudo  na vida são flores e o amor muitas vezes também não é tão fácil quanto pensamos ser.
Tate está se mudando para o apartamento do seu irmão Corbin para fazer o mestrado de enfermagem e ao chegar na porta de casa, não tem uma entrada exatamente receptiva. O vizinho do seu irmão está completamente bêbado, deitado na porta e ela precisa passar por ele para entrar em casa. Inicialmente, o contato dos dois não é nada bom, mas no outro dia eles decidem tentar novamente e ela passa a conhecer o atraente Miles Archer, que assim como o seu irmão também é piloto de avião.
A tensão entre eles diminui quando Miles viaja com Corbin e Tate para passar o dia de Ação de Graças na casa da família dos irmãos. Tate e Miles passam a ficar atraídos um pelo outro e eles não conseguem ficar afastados. Porém Miles deixa claro para Tate que não quer um relacionamento sério e estabelece duas regras: jamais perguntar sobre o seu passado e nem esperar um futuro.
O Lado Feio do Amor foi uma leitura intensa e ao mesmo tempo intrigante por trazer tantos segredos. Quando Tate aceita as condições de Miles, no fundo ela espera um amor, enquanto ele não revela nenhuma emoção. Ela tenta chegar perto dele, mas ele é escorregadio e seu coração não está aberto.
A cada página lida, eu sentia uma angústia por dentro e queria descobrir o que de tão cruel havia acontecido com Miles para ele querer ficar tão longe do amor. É impossível não querer conhecê-lo, compreender seus medos e anseios e ao mesmo tempo desejar que ele pudesse encontrar um novo caminho.
O livro é narrado em primeira pessoa, sendo intercalado por Tate no presente e Miles no passado. Aos poucos, vamos compreendendo melhor cada um dos dois personagens e é impossível não se surpreender com a força deles.
A escrita da Colleen é cativante e a leitura me prendeu desde as primeiras páginas. Os personagens secundários também são bem construídos e não poderia deixar de mencionar Cap - um octogenário que se torna um grande amigo de Tate e é bem divertido.

O Lado Feio do Amor me tocou de uma forma tão grande que vai ser impossível esquecer o seu conteúdo. Comecei a leitura sem grandes expectativas e ao longo do livro as emoções passaram a tomar conta de todo o meu pensamento. Não é só um livro de amor, é também uma história de recomeços e de como se encontrar mesmo quando se sentir tão só. É um livro que mostra que mesmo o amor tendo um lado que ninguém quer conhecer, ainda assim precisamos acreditar nele, e que muitas vezes ele pode ser a única resposta em meio a uma vida tão cruel. É uma leitura que recomendo sem dúvidas. Você vai se apaixonar!


››


Olá pessoal, tudo bem?
Hoje eu trouxe mais uma indicação de um livro que li tem muito tempo, mas gostei tanto que não poderia deixar de compartilhar com vocês essa leitura tão incrível.
Garota Online foi um dos livros que fiquei bem ansiosa desde o lançamento anunciado pela editora Verus. O livro conta a história de Penny que tem um blog chamado Garota Online que é muito especial, pois é nele em que ela abre seu coração e desvenda tudo aquilo que está sentindo, é lá que ela encontra refúgio para compartilhar sobre a sua dor em relação a Síndrome do Pânico, que a acompanha desde que sofreu um acidente de carro. Porém, a sua vida muda quando ela tem que viajar para Nova York e lá ela conhece Noah, um garoto que mexe completamente com o seu coração.




Esse é um daqueles livros que mesmo sendo um pouco clichê, também envolve segredos e a narrativa é viciante. A leitura é fluida e não tem como não se conectar com os personagens. É também um livro sobre amizade e amor. É um livro que recomendo para todos que procuram uma narrativa mais leve, agradável e gostam dos Youngs Adults. Sem dúvidas, não podem deixar de ler este livro!
Abaixo segue a capa e a sinopse do livro:


Sinopse:

Penny tem um segredo.
Com o nickname Garota Online, ela escreve um blog no qual desabafa seus sentimentos mais íntimos sobre amizade, meninos, os dramas do colégio, sua família maluca e os ataques de pânico que começaram a dominar sua vida. 
Quando as coisas vão de mal a pior, sua família a leva para Nova York, onde ela conhece Noah, um garoto lindo que toca guitarra, e com quem ela parece ter muito em comum. 
De repente, Penny percebe que está se apaixonando — e escreve sobre cada momento dessa história em seu blog, de maneira anônima. Só que Noah também tem um segredo, que ameaça arruinar o disfarce de Penny para sempre.
››




Ler clássicos da literatura é sempre uma grande oportunidade, em meio a tantas adaptações ter acesso ao texto integral de uma obra é sem dúvidas enriquecedor. A medida que adentrava no  universo do livro “Os Três Mosqueteiros” do autor Alexandre Dumas fui aos poucos entendendo o motivo pelo qual a obra vem se mantendo viva e sendo passada de geração em geração até os dias de hoje, além de ser uma das percussoras do gênero capa e espada, o que já indica a presença de grandes batalhas, tem um enredo forte, bem enlaçado com drama, romance, bom humor, traições, conspirações tudo na medida exata.
A história se inicia com a jornada do jovem gascão D’Artagnan para chegar em Paris e realizar o seu sonho de se tornar um Mosqueteiro, um seleto grupo de soldados designados a proteger o rei da França, Luis XIII. Porém, logo no início de sua viagem o jovem se envolve em uma confusão que resultou em um duelo, no qual saiu gravemente ferido e logo depois ficou sem a carta que iria garantir a sua entrada para o corpo dos mosqueteiros. Mesmo assim D’Artagnan não desiste do seu sonho e segue viagem jurando vingança ao seu malfeitor, o qual não sabe como ou onde irá encontrá-lo novamente, mas com a certeza que um dia irá se vingar.
Logo que chega a Paris, D’Artagnan mais uma vez se ver envolvido em uma nova confusão, dessa vez com os três mosqueteiros inseparáveis Athos, Porthos e Aramis. Desse duelo ele não tinha tanta certeza que sairia vivo, porém quando estavam prestes a iniciar o combate os quatros se viram emboscados pelos guardas do Cardeal Richelieu, velhos inimigos dos mosqueteiros. Para se verem livres de tal situação os quatro precisaram unir forças e a valentia do jovem gascão surpreendeu os mosqueteiros. Mesmo estando em menor número, D’Artagnan e os três mosqueteiros conseguem vencer o duelo dando início a uma amizade forte e leal.
Como a carta de recomendação do jovem D’Artagnan foi roubada ele não consegue entrar para a ordem dos mosqueteiros, mas é encaminhado para realizar um treinamento de guarda sob a promessa de um dia se tornar um mosqueteiro. Apesar disso os quatro amigos se tornaram inseparáveis e daí em diante passam a viver grandes aventuras em defesa ao Rei e a Rainha da França, além claro das confusões habituais que os amigos se envolviam.
Mesmo já conhecendo a história por alto através das diversas adaptações a leitura ainda me surpreendeu, me vi imersa na Paris do século XVII vivendo as grandes aventuras junto com D’Artagnan, Porthos, Athos e Aramis. O clássico é um livro intenso, repleto de altos e baixos, além de ter personagens riquíssimos e muito bem construídos. Até mesmo os personagens secundários são bem construído, bem-humorados e com características marcantes.
Eu não poderia deixar de mencionar a antagonista Milady, eu simplesmente adorei a forma como ela foi construída, uma mulher forte, audaciosa, minimalista e que é bem diferente das mulheres da época. Ela é de fato cruel, mas em nenhum momento é uma personagem entediante, ela é inventiva e mesmo em meio as maiores enrascadas ela conseguia me surpreender revertendo a situação de uma forma inimaginável. Ela sem dúvidas é uma vilã que marca a história e que mesmo odiando as maldades que ela realiza ao longo da trama ainda é possível gostar dela.
A narrativa é em terceira pessoa, a escolha do narrador onisciente me passou a impressão que estava dialogando com um amigo enquanto ele me contava uma história surpreendente, revelando os fatos na medida certa e no devido momento. Ao longo da leitura me deparei com palavras que não estava tão habituada, mas as notas de rodapé ajudaram bastante e em outros momentos até mesmo consultei na internet para ter uma visão melhor sobre o que se tratava. A leitura foi extremamente agradável e envolvente, estou muito feliz de ter tido a oportunidade de ler essa obra e espero em breve poder ler os dois volumes que a sucedem.
A edição da editora Generale está incrível, conta com a capa do filme de 2011 (que tem um elenco incrível, diga-se de passagem), folhas amarelas, as divisões de capítulos são simples. Outro aspecto positivo é que após o final da história nessa edição segue um encarte especial montado pelo professor Alexandre Callari que complementa ainda mais a leitura. Assim fica claro a forma como o livro foi publicado originalmente, o que de fato é verdade, o que inspirou Alexandre Dumas a escrever a obra, a história de vida do autor, dentre tantos outros fatos interessantíssimos.
Com certeza essa leitura está entre as minhas favoritas do ano e indico para todos que gostam de clássicos, ou mesmo quem já conhece e gosta de alguma das várias adaptações da história, vale a pena conhecer o texto integral. Quem gosta de histórias de duelos provavelmente também irá gostar dessa.

››


Olá pessoal, tudo bem?
Já tem bastante tempo que eu gostaria de indicar para vocês os livros que mais gostei que podem ser lidos no mesmo dia, mas como tem muitos, é um pouco difícil escolher os melhores. Mesmo assim selecionei aqueles que de alguma forma me tocaram durante a leitura e se tornaram inesquecíveis. É claro que muitos vão ficar de fora, mas aos poucos eles serão indicados também. Espero que gostem!


Esse é um dos meus livros favoritos! É um New Adult tão incrível que me prendeu do início ao fim e desde o momento em que comecei a leitura, só consegui parar de ler quando cheguei até a última página. A relação da Abby e do Travis é cheia de reviravoltas e depois desse livro, foi difícil encontrar novos favoritos do gênero. Vale a pena cada momento da leitura.
Abaixo segue a sinopse do livro:

Sinopse: Abby Abernathy é uma boa garota. Ela não bebe nem fala palavrão, e tem a quantidade apropriada de cardigãs no guarda-roupa. Abby acredita que seu passado sombrio está bem distante, mas, quando se muda para uma nova cidade com America, sua melhor amiga, para cursar a faculdade, seu recomeço é rapidamente ameaçado pelo bad boy da universidade.  Travis Maddox, com seu abdômen definido e seus braços tatuados, é exatamente o que Abby precisa e deseja evitar. Ele passa as noites ganhando dinheiro em um clube da luta e os dias seduzindo as garotas da faculdade. Intrigado com a resistência de Abby ao seu charme, Travis a atrai com uma aposta. Se ele perder, terá que ficar sem sexo por um mês. Se ela perder, deverá morar no apartamento dele pelo mesmo período. Qualquer que seja o resultado da aposta, Travis nem imagina que finalmente encontrou uma adversária à altura. E é então que eles se envolvem em uma relação intensa e conturbada, que pode acabar levando-os à loucura.





Depois de tanto tempo ansiosa para conhecer esse livro, fui surpreendida pelo conteúdo maravilhoso da história. Lori narra de uma forma comovente e tão encantadora que é impossível não se sentir próxima dos personagens. Esse livro foi bem marcante e não consegui parar de ler. A resenha dele completa está disponível aqui.
Abaixo, segue a sinopse:

Sinopse: Brett Bohlinger parece ter tudo na vida — um ótimo emprego como executiva de publicidade, um namorado lindo e um loft moderno e espaçoso. Até que sua adorada mãe morre e deixa no testamento uma ordem: para receber sua parte na gorda herança, Brett precisa completar a lista de sonhos que escreveu quando era uma ingênua adolescente.
Deprimida e de luto, Brett não consegue entender a decisão de sua mãe — seus desejos adolescentes não têm nada a ver com suas ambições de agora, aos trinta e quatro anos. Alguns itens da lista exigiriam que ela reinventasse sua vida inteira. Outros parecem mesmo impossíveis.
Com relutância, Brett embarca numa jornada emocionante em busca de seus sonhos de adolescência. E vai descobrir que, às vezes, os melhores presentes da vida se encontram nos lugares mais inesperados.


Como Chick-Lit é um dos meus gêneros favoritos, não poderia deixar Sua Grande Chance de fora dessa seleção. Esse livro é muito divertido e ri demais com a personagem e com as tarefas do seu emprego inusitado: especialista em terminar relacionamentos. Caso você ainda não tenha lido esse livro, você não pode perder essa história.
Abaixo segue a sinopse:

Sinopse: Dani é uma mulher em seus 20 e 'muitos' anos, atraente, bem-sucedida e tem uma profissão bastante curiosa - ela é especialista em terminar relacionamentos. Trabalhando para uma empresa cujo slogan é 'Não é você, somos nós', ela enfrenta diversas situações, algumas cômicas, outras trágicas e outras que a deixam no limite de quebrar uma das regras mais importantes de sua empresa - Não se envolver pessoalmente. Porém, ainda que Dani consiga desempenhar muito bem seu trabalho, ela nem sempre consegue seguir à risca uma das principais regras da empresa e se manter distante e alheia ao drama de quem está sendo dispensado. Por conta de sua sensibilidade, ao ter de encarar um dos 'futuros-ex-namorados' de uma cliente, Dani pode acabar tendo de ir muito além do que havia planejado.



Como não poderia deixar um livro nacional de fora, Quando o Vento Sumiu é uma história incrível sobre amizade e também sobre escolhas. Não vou falar muito sobre ele, pois a resenha está disponível no blog. É só clicar aqui.
Abaixo segue a sinopse:

Sinopse: Suzan, Mateus e Renato parecem três jovens como outros quaisquer do Rio de Janeiro. Suzan estuda Turismo. Renato e Mateus, Engenharia Civil. Os três são amigos desde o colégio e, apesar de muito diferentes, são inseparáveis. Mas, entre aulas, festas, momentos em família e idas à praia, cada um deles enfrenta seus problemas. Desde que o pai foi pego dando um golpe, Mateus vive só com a mãe, marcado por esse acontecimento. Renato é um garoto rico que resiste às pressões do pai para surfar menos e se interessar mais pela construtora da família. Suzan é apaixonada por Renato e sofre por ser considerada apenas uma amiga – e pela pressão da mãe para que se envolva com ele.
No correr dos dias, a amizade dos três se transforma sutilmente. Suzan deve se declarar ao amigo, ou tentar ser feliz de outro modo? Mateus terá realmente só a amizade para lhe oferecer?Renato deve se render à pressão paterna e se aplicar mais aos estudos? E até que ponto a relação dos três suportará o desgaste do tempo?
Embora tenham toda a vida pela frente, logo descobrirão uma dura lição: algumas escolhas têm consequências duradouras e alteram o curso de toda uma existência. Muitas coisas saem diferente do desejado. O difícil é prever o resultado de nossas opções e conviver com elas no futuro.
E se você pudesse voltar atrás e escolher outro final para a sua história? Que escolha você faria diferente?


E para variar as indicações, Matilda é um livro que apesar de ser infantil é impossível parar de ler. A história é ilustrada também e vale para o público de todas as idades. A resenha completa desse livro está disponível aqui.
Abaixo segue a sinopse:

Sinopse: Matilda adorava ler. Passava horas na biblioteca, lendo um livro atrás do outro. Mas, quanto mais ela lia e aprendia, mais aumentava seus problemas. Os pais viam televisão o tempo todo e achavam muito estranho uma menina gostar tanto de ler. A diretora da escola achava Matilda uma fingida, pois ela não acreditava que uma criança tão nova pudesse saber tantas coisas. Depois de mil peripécias, em que tentou se livrar da tirania dos pais e da diretora, Matilda acabou encontrando a compreensão de uma professora, srta. Mel, com quem foi morar.

Essas foram as minhas indicações. Todos esses livros estão na minha lista de favoritos e é impossível parar de ler quando começamos. E vocês gostaram das dicas? Quais livros indicam para ler em um dia?


››





Tsumitsuki” é um mangá sobrenatural de terror do artista Hiro Kiyohara, o qual foi uma leitura extremamente envolvente que só foi possível parar quando cheguei na última página, confesso que se tivesse mais volumes com certeza iria seguir lendo. A arte do mangá tem um toque de terror com alguns quadrinhos mais escuros, mas ainda assim é uma bela arte com traços suaves e bem elaborados. Fiquei bastante curiosa para conferir um pouco mais do trabalho de Kiyohara, principalmente “Another” que é um dos mais populares dele.
Como comecei a pouco nesse universo tenho optado por oneshots que são mangás que possuem apenas um volume, pois assim estou conseguindo me adaptar tanto ao modo de leitura quanto ao teor dos quadrinhos japoneses. “Tsumitsuki” conta a história de youkais (demônios, espíritos ou monstros) denominados Tsumitsuki que de acordo com a lenda se alojam em seres humanos e se alimentam dos remorsos, tomando o controle de dentro pra fora e quando estão fortes suficientes remodelam o corpo humano a sua forma original e passam a se alimentar de outros seres humanos. O processo de transformação é lento e doloroso para a pessoa que abriga o espírito, uma vez que é tomada por esse Tsumitsuki não existe uma forma de reverter o processo. Quanto mais forte o espírito mais difícil de matar e somente algumas pessoas são capazes de matá-los.
O mangá é dividido em quatro capítulos mais o capítulo zero ao final (comum nos quadrinhos japoneses). A ambientação desse é em um colégio e todos os personagens apresentados são adolescentes. Cada capítulo foca em uma colegial diferente, começando por Shinohara, uma garota que sofre bullying por causa de algo que aconteceu no seu passado, uma garota, Chinatsu Takada, que chegou recentemente no colégio tenta se aproximar dela, mas não consegue compreender o porquê das atitudes da colega. Só quando Takada conhece o misterioso Korue que ela começa a compreender o que Shinohara tem passado.
Repleto de mistérios e desaparecimentos estranhos, esse mangá ainda aborda temáticas como relacionamentos familiares, escolhas, aborto, o peso da culpa e principalmente o bullying nas escolas. Cada personagem retratada traz consigo um passado, as escolhas que fizeram influenciaram no presente, por isso precisam lidar com o peso dos remorsos e por vezes a situação é agravada devido ao bullying que sofrem por parte das demais colegas de classe. Levando assim a reflexão sobre a condição de vida e como tudo pode mudar de uma hora pra outra.
Kuroe é o único personagem que aparece em todos os capítulos, sua aura de mistério me instigou e me deixou ainda curiosa para saber mais sobre ele. O papel dele no enredo é crucial, ele não só oferece um panorama da situação como faz parte de tudo que está acontecendo e por fim, se mostra como realmente é. Além disso, é apresentada a justificativa pelo forma como ele age e é plausível.
Na minha opinião esse é um mangá mais sobrenatural do quê voltado para o terror, possui sim algumas cenas que são mais obscuras, mas a magia fica por conta da presença dos Tsumitsuki e a forma como eles tomam conta de uma pessoa. Pude me surpreender em muitos momentos da leitura, mas não fiquei aterrorizada e sim um pouco apreensiva em muitas cenas. Por vezes senti vontade de ir mais a fundo na história e até mesmo desejei que tivessem mais volumes para que a história fosse abordada de uma forma mais intensa.


Para quem tem interesse em conhecer o mundo dos mangás essa é uma boa escolha para a introdução nesse universo. Indico também para quem gosta de leituras sobre lendas sobrenaturais, a leitura é fluida, dinâmica e rápida. Vale a pena conferir. Vale ressaltar que devido a presença de algumas cenas mais fortes a restrição de idade é para maiores de 14 anos.


››