Essa postagem será um pouco diferente, pois irei falar um pouco sobre um tema polêmico que é preconceito literário em torno dos livros do Dan Brown e em seguida irei falar sobre o filme que será lançado ainda esse ano Inferno. Sim, eu gosto dos livros dele, mesmo com muitas pessoas afirmando que ele usa a mesma fórmula em todos, ainda assim são livros que prendem a minha atenção que me fazem pesquisar mais sobre determinados temas, obras de arte, simbologia e quando vejo estou totalmente imersa no universo criado por ele que é rico em descrições.
Em alguns momentos o autor tem uma narrativa um pouco cansativa é verdade, já que muitas vezes entra em detalhes que ao meu ver são desnecessários para o desenvolvimento do livro. Porém, em contrapartida os livros do Dan Brown por diversas vezes são a porta de entrada de leitores para uma literatura mais densa, é impossível não se ver instigado a ler a “Divina Comédia” de Dante Alighieri quando estamos lendo o livro Inferno. Outro aspecto que me chama a atenção é sem dúvidas a descrição bem elaborada dos locais onde os livros são ambientados, é possível imaginar perfeitamente visitando tais igrejas, ruas, museus, entre outros.
Acredito que toda leitura é válida se o leitor souber tirar proveito dela. É difícil encarar leituras mais densas se não houver um preparo prévio para isso. Além disso, é importante o leitor se ver interessado e instigado pela obra em questão e se não for o caso a leitura provavelmente será entediante, arrastada e desinteressada. Pode ser uma obra altamente elogiada pela crítica literária, mas se o leitor não estiver minimamente seduzido por ela não será uma experiência de leitura agradável. Portanto, mesmo com todo o preconceito literário existente se o leitor se ver interessado em ler a obra a leitura deve ser realizada sem se preocupar com a opinião de terceiros, se gostar ótimo, caso contrário deve seguir buscando outros títulos que o instiguem e despertem a sua curiosidade. Dessa forma, aos poucos o leitor terá um conhecimento maior do seu gosto literário e como consequência irá realizar leituras que irão agradá-lo mais.
Encerrando o tema polêmico, sigo ansiosa para assistir a adaptação do livro "Inferno" para as telonas. Tom Hanks irá encarnar novamente o professor Robert Langdon, que tem um físico que combina exatamente com a descrição feita no livro. Dessa vez o professor se encontra em Florença na Itália, porém não sabe como chegou lá, pois perdeu a memória recente. Ele acorda assustado em um hospital com um tiro na cabeça e logo em seguida sofre um novo atentado a sua vida, ele precisa fugir para se manter a salvo e para isso conta com a ajuda de uma jovem médica Sienna Brooks (Felicity Jones). Em posse de um objeto estranho Langdon precisa desvendar diversos códigos para impedir uma grande ameaça a população mundial.
Faz um tempo que li o livro , mas foi uma leitura envolvente que prendeu minha atenção do início ao fim, me surpreendi em alguns momentos e gostei bastante das cenas de ação. Dan Brown foi um dos autores que despertaram meu interesse em ler livros de suspense e acabou ganhando lugar cativo na minha estante.
Uma aventura eletrizante que conduz o leitor a reflexões sobre super população, biotecnologias e o futuro da humanidade. O leitor é ainda transportado pelas ruas de Florença e convidado a conhecer um pouco mais sobre a obra "A Divina Comédia". Segue o trailer do filme:
A minha intenção com essa postagem foi justamente deixar a mensagem de fim ao preconceito literário, cada pessoa ler o que tem interesse, ficar julgando e criticando a leitura de terceiros não faz ninguém melhor do que ninguém. Vamos respeitar a leitura das outras pessoas e ler o que de fato nos chama a atenção.


6 Comentários

  1. Concordo plenamente, sou apaixonada pelos livros de Dan Brown, li todos. E sim, algumas partes são mais densas por ser livros muito detalhados, mais fico encantada com certas descrições, museus, obras de arte monumentos... E não entendo tanto preconceito, as pessoas podem até não gostar do estilo, mas tem que concordar que o cara tem que ser no minimo um escritor genial para escrever um livro com toda essa riqueza!

    ~ http://clubedofarol.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Milly, tudo bem?
      Concordo com todos os pontos que você levantou, a pesquisa que ele faz para o livro é realmente muito bem detalhada e as descrições nos transportam para os locais em questão.
      Muitas pessoas falam que é pelo fato de endeusar o professor Robert Langdon que não gostam dos livros do Dan Brown, eu não concordo com isso.
      Obrigada pela visita.
      Beijos

      Excluir
  2. Olá,
    Ainda não consegui ter coragem para ler nenhum dos livros do autor. Já assisti a um filme que era baseado em sua obra e ele já não me agradou muito.
    Acho interessante a simbologia e as obras de artes que o autor descreve e a ambientação parece ser muito bem feita, mas ainda assim não consegui ficar interessada em seus livros.

    http://leitoradescontrolada.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Olá!
    Adorei seu texto.
    Apesar de ainda não ter lido Inferno, também gosto muito dos livros do Dan Brown e sou contra qualquer tipo de preconceito, inclusive o literário.
    Partilho da mesma opinião que você, acho que todo tipo de leitura é válida.
    Também estou bastante ansiosa pelo filme, mas antes preciso ler o livro.
    Beijos.

    Li
    Literalizando Sonhos

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Eu sempre assisto um filme que é uma adaptação com esse pensamento: é uma adaptação! E eu sempre achei legal porque isso leva o livro para pessoas que não conhecem. Eu, particularmente, só li O Código Da Vinci e adorei a adaptação cinematográfica. Estou esperando Inferno agora.
    Beijos.
    http://arsenaldeideiasblog.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  5. Olá Carol, eu gosto dos livros do Dan, mesmo sendo complexo, muitos deles tive que ler duas vezes para entender, mas adoro o tipo de mistério que cerca seus livros. Bjkas

    ResponderExcluir