Cem Gramas de Centeio não perde tempo e logo no primeiro capítulo nos deparamos com o primeiro assassinato, Rex Fortscue é presidente de uma grande empresa e como de costume bebe seu chá matinal, porém ele é vítima de um envenenamento. No bolso do terno do empresário são encontrados cem gramas de centeio e é a primeira pista do caso.
O inspetor Neele é o responsável pela investigação e a medida em que conhece a família da vítima percebe que qualquer um pode ser o autor do crime. Poucos dias após a morte do Sr. Fortscue, dois novos assassinatos acontecem e então Miss Marple aparece para investigar o caso.
Miss Marple atua em segundo plano nas investigações, aparece em poucos capítulos, mas como sempre sua percepção para realizar a justiça não falha, ela mantém o faro aguçado em tais situações. Ela é a responsável por perceber detalhes que para os olhos do inspetor passariam despercebidos, além disso Miss Marple ainda identifica o padrão que guiaram os assassinatos. Como sempre a abordagem da velhinha “mexeriqueira” é bem suave, transmite uma imagem confiável e ao mesmo tempo perspicaz, sempre enxergando nas entrelinhas.
Durante a leitura encontrei algumas semelhanças com o livro A Mansão Hollow, apesar das circunstância serem bem distintas e a composição dos personagens também, em alguns pequenos detalhes eu me pegava pensando na Mansão. O que contribuiu um pouco com as minhas deduções de quem seria o assassino.
Nesse livro, como em todos os outros da Agatha, temos um leque de possíveis assassinos e seus respectivos motivos. Não temos uma visão tão aprofundada da personalidade dos personagens como nos livros que Miss Marple é a grande responsável por desvendar o caso, o inspetor Neele atua de forma mais rasa. Um elemento que identifiquei que é bem comum nos livros da Agatha é que a medida que os personagens são apresentados geralmente são feitas ligações com pessoas do passado dos detetives, o que ajuda muito nas deduções. Dessa vez eu acertei quem era o assassino, apesar de não ter conseguido ligar todos os motivos e foi nesse ponto que a rainha do crime mais uma vez me surpreendeu, quando ela encaixou toda a história.

Enfim, como sempre foi uma leitura muito agradável e bem rápida. Esse livro não se tornou o meu favorito da autora. Se você nunca leu nada da autora não recomendo começar por esse, tem outros que a história é mais envolvente e nos deixa mais ansiosos. Ainda assim o considero um bom livro. Os livros da Agatha já possuem lugar cativo na minha estante e sempre quero mais! 


4 Comentários

  1. Agatha Christie despensa comentários, simplemente SENSACIONAL. Ainda não tive a oportunidade de ler esse, mas confesso que a sua resenha me deu uma certa curiosidade. Aliás, todos os livros da Agatha nos despertam uma curiosidade e uma inquietação enquanto não terminarmos o livro.
    Beijocas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Agatha é Agatha... rsrsrs
      Eu comecei a ler a pouco tempo e já estou amando. Esse é o quinto título dela que eu li e não tenho dúvidas que irei ler todas as obras. Vale a pena, ela nos instiga muito.
      Beijos

      Excluir
  2. Oi, tudo bem? Por mais incrível que pareça, nunca li nada da autora. Tenho medo de acabar gostando e ter que ler TODOS os milhares de livros dela, hahaha. Gostei da resenha, o livro parece ser bem interessante.

    Beijos,
    Duas Livreiras

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Larissa,
      Quando se pega gosto pelos livros da rainha do crime é quase obrigatório ler todos, eu venho intercalando os livros dela com outros autores, vale a pena.
      Beijos

      Excluir