Resenha: A Rainha Vermelha

07 março


Esse livro é um sucesso e divide opiniões dos seus leitores, alguns o adoram e outros criticam bastante. Fui movida a lê-lo devido a esse universo fantástico que é apresentado de uma forma interessante e que me atrai bastante, além de ter adorado a capa dele. Achei o livro muito bom, tem uma leitura fácil e a forma como corre mantendo sempre a tensão em um nível alto te prende, cria expectativas e deixa a leitura surpreendente.
Mare Barrow vive em um mundo onde as pessoas são divididas pela cor do sangue: vermelhos e prateados. Os vermelhos são os plebeus, trabalhadores, soldados, enfim as pessoas comuns. Os prateados são os privilegiados, os governantes, agem como se fossem deuses e possuem alguns poderes especiais (estilo x-men).
Durante anos uma guerra se arrasta entre prateados de reinos diferentes, porém são os vermelhos que estão na linha de frente de combate, os prateados apesar de terem poderes são os comandantes, generais, ou seja, possuem a patente alta e raras as vezes que vão para combate na linha de frente. Os vermelhos que não possuem um trabalho ao completar dezessete anos são obrigados a lutarem na guerra. Mare Barrow está prestes a ser convocada, assim como seus três irmãos que foram antes dela e seu amigo Killorn que tem a mesma idade dela. Os vermelhos vivem em extrema pobreza, por isso Mare usa sua agilidade para roubar carteiras e ajudar sua família, com a notícia da aproximação da convocação de Killorn ela busca uma alternativa para os dois fugirem só que para isso precisam arrecadar uma quantia alta de dinheiro.
Mare começa a roubar o máximo que pode para arrecadar a quantia que precisa para comprar sua liberdade. Com a ajuda de sua irmã mais nova Gisa ela consegue entrar no Palácio do Sol, onde a corte real passa suas férias de verão. Algo inesperado acontece e surgem os primeiros vestígios de uma rebelião organizada por vermelhos, eles assumem um ataque na capital que é exibido em todos os televisores dentro do palácio, eles se apresentam como a Guarda Escarlate e buscam os direitos iguais para os vermelhos. Dando início a uma confusão no Palácio do Sol, os prateados começam a atacar os vermelhos presentes, Gisa na tentativa de ajudar a sua irmã arrecadar o dinheiro que precisa é pega em flagrante tentando roubar e por isso é punida. Mare não consegue fazer nada para ajudá-la e carrega consigo o peso da culpa pelos danos ocorridos na mão de sua irmã mais nova. Desesperada ela continua ‘batendo carteiras’ na vila onde mora, a fim de evitar encarar sua família naquela noite. Até que ela tenta roubar a carteira de Cal, ele a pega em flagrante, porém é complacente e decide ajudá-la.
No dia seguinte ao encontro com Cal, Mare Barrow é contratada para servir os prateados em seu palácio de verão, é a partir daí que ela fará grandes descobertas. A primeira é que Cal não era um vermelho como ela pensou e sim um prateado, um príncipe e herdeiro do trono. Em seu primeiro dia de trabalho como criada está acontecendo um grande evento, a escolha da mulher que se casará com cal e será a futura rainha. Essa escolha é uma exibição dos poderes das prateadas das casas nobres do reino, e termina com a escolha da mais forte. É durante a apresentação da magnetron (controladora de metais) Evangeline Samos que um acidente acontece e Mare é arremessada contra um escudo elétrico que poderá causar sua morte. Ela é salva por algo inesperado, seus poderes se manifestam pela primeira vez e a salva da morte. Mare faz então a sua segunda descoberta ela é uma vermelha, porém possui poderes iguais aos prateados, ela controla a eletricidade.
A atual rainha Elara convence ao rei de utilizá-la como um recurso político e transformá-la em princesa, ela é prometida em casamento ao segundo príncipe Marven e precisa fingir ser uma prateada. Sua vida muda totalmente, ela passa a ser conhecida pela corte como Lady Titanos, a rainha inventa uma mentira para justificar porque ela foi criada por vermelhos. Seus desafios estão apenas começando e ela precisa enfrentar muitos obstáculos pelo caminho, se ela sair da linha será condenada a morte.
O livro é narrado por Mare e é através da visão dela que conhecemos o mundo prateado e conduzimos nossa intuição. O livro é cheio de ação, se desenvolve rápido e te deixa querendo saber o que vem a seguir. A partir do momento que Mare vai viver no mundo dos prateados ela adquire novos conceitos, conhecimentos, aprende a controlar seu poder e táticas de guerra.
Os relacionamentos são conturbados ao longo do livro, muitas vezes Mare se ver dividida entre os irmãos Cal e Marven, precisa conhecê-los compreender seus sentimentos e traçar o caminho que quer seguir. O mundo que ela conhecia se transforma a cada segundo e em um espaço curto de tempo ela precisa decidir qual é a sua luta e como ela deve agir. Em alguns momentos enquanto estamos lendo queremos dá um sacode nos personagens, você fica tenso e se surpreende junto. Porém, no final tudo faz sentido e se conecta.
Essa foi uma leitura realmente boa, pretendo continuar lendo a série. O segundo livro já foi publicado e se chama Espada de vidro, além dele tem um extra que se chama Coroa Cruel. Há boatos que uma adaptação para o cinema já vem sendo negociada, vamos torcer pra se realizar.

Você pode gostar

2 comentários

  1. AMEI esse livro muito bom mesmo,graças a vc que cheguei a ler ele,adoro o blog de vcs estou sempre acompanhando ...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ficamos extremamente felizes que você tenha conhecido e gostado da leitura através do nosso blog! Ficamos muito gratas pelo carinho.

      Excluir

Facebook

Instagram