Obs: Se você ainda não leu o primeiro volume da trilogia essa resenha pode conter spoilers desse.
“Não olhe!” é o segundo volume da trilogia “Não Pare!” da autora FML Pepper. O primeiro livro da série foi bem fluído e terminou com um gancho muito bom, Nina está prestes a saber mais sobre a sua origem e cruzou o portal para Zyrk, essa nova aventura permitirá se aproximar ainda mais do seu destino inevitável. Ela está apaixonada pela sua morte, Richard quem deveria ser responsável por resgatar sua alma, mas ele vem poupando sua vida. Nesse livro a protagonista está extremamente confusa, não sabe em quem confiar ou em quem realmente quer ajudá-la.
O universo apresentado no livro conta com quatro dimensões, essas caminham de forma paralela, coexistem juntas mas em planos diferentes. A principal ou superior é nomeada de plano e seria o equivalente ao paraíso (a luz). A segunda dimensão ou plano intermediário é o equivalente a Terra. A terceira dimensão ou plano é Zyrk, os habitantes dessa são os responsáveis por administrar as mortes do segundo plano. Por fim, o Vértice ou mundo das sombras o equivalente ao inferno.
De acordo com a lenda que Zyrk é uma terra amaldiçoada, seu povo é desprovido de bons sentimentos. Não existe sequer o amor maternal, existem regras que determinam o momento em que deve ocorrer a reprodução e os respectivos pares, esses dados são determinados por um Conselho de Magos, as mulheres carregam os filhos somente durante a gestação, quando nascem entregam seus filhos para serem criados por mulheres inférteis, até serem capazes de guerrear. A única exceção a regra são os herdeiros do trono, que são mantidos perto do pai, não por existir afeto, mas para garantir a continuidade do sangue no governo dos clãs. O terceiro plano é dividido em quatro clãs: Thron, Storm, Windston e Marmon. Esses quatro vivem uma espécie de guerra fria e a chegada de Nina pode ser o estopim da guerra.
Cada clã tem um resgatador principal, de Thron é Richard, de Storm é John, de Windston é Samantha e por fim, de Marmon é Kevin. Richard é o bad-boy, inconstante, confuso e impulsivo, vive um conflito interno entre o bem e o mal. John por sua vez tem um bom caráter, é justo e é herdeiro do trono de Storm. Samantha é a melhor guerreira de Windston e deve ser a mãe do filho de Richard. Kevin é inescrupuloso, falso e cínico, um dos piores exemplares de Zyrk.
Cada clã tem um plano traçado para o destino de Nina, alguns acreditavam que ela deve ser morta, outros que ela é o fim da maldição de Zyrk e ainda que é a única capaz de libertar Malazar (o diabo) do Vértice. Nina só conseguiu cruzar o portal por ser hibrida, fruto do relacionamento de uma humana com um zirquiniano, como foi concebida é um mistério pois o contato intimo entre as duas espécies levam a morte do humano. Muitos zirquinianos tem a curiosidade de conhecer os sentimentos humanos e eles acreditam que através do contato com uma hibrida serão capazes de desfrutar prazeres desconhecidos, e por isso Nina vive em constante perigo nesse plano. Será que Nina é mesmo o ponto final dessa maldição? Quem foi o pai dela? Será que o amor verdadeiro é capaz de destruir a maldição de Zyrk? São as perguntas que guiam essa leitura.
Mais uma vez a leitura do livro é bem fluída, os fatos decorrem em alta velocidade, uma sequência de fatos eletrizantes. Em relação a escrita é perceptível que houve uma melhora em relação ao primeiro volume, a autora está mais experiente, o que agrega maior valor ao livro. Os personagens nesse volume estão mais densos é possível conhecê-los melhor. Durante a leitura é comum o questionamento se de fato os zirquinianos são desprovidos de sentimentos bons, algumas situações levam a reflexão, mas acredito que seja um gancho para o que pode vir a frente na sequência. O enredo do livro é bom, o nível de tensão é bem alto e o gancho final mais uma vez é muito bom e instiga a curiosidade para prosseguir a leitura o mais rápido possível.
É comum ao longo da leitura de uma trilogia achar o segundo livro ruim ou cansativo, mas não foi o caso de Não Olhe!. Ele foi bem esclarecedor, possibilitou uma exploração maior do território de Zyrk e aprofundar um pouco mais sobre a personalidade e o caráter dos zirquinianos. Enfim, a leitura é bem agradável e instiga a curiosidade envolvendo o leitor em sua trama cada vez mais profunda.
Vale ressaltar mais uma vez que no livro contém características comuns do gênero YA (Young adult), se você não tem interesse pelo gênero eu não indico a leitura. Se você não faz parte do público alvo dessa categoria mais, mas ainda assim sente empatia pelo gênero acredito que irá gostar.

Para acessar as outras resenhas da trilogia clique no título:
Não Pare! (Trilogia Não Pare #1)
Não fuja! (Trilogia Não Pare #3)


Deixe um comentário