Resenha: The Innocent

13 julho

The Innocent é o primeiro mangá que eu leio, eu o escolhi por ser volume único, pois acreditava que seria mais fácil para iniciar nesse mundo de quadrinhos japonês. E fui surpreendida com um enredo que prende o leitor do início ao fim e repleto de surpresas. A história foi escrita por Avi Arad que é ex-diretor da Marvel e co-fundador da Marvel Studios, logo esperava bastante ação e algumas semelhanças com os super-heróis do universo Marvel e não estava totalmente enganada. Ao longo da leitura pude perceber alguns detalhes desse universo, nada de super heróis, mas um protagonista com um toque sobrenatural, objetivo e sem frescuras. A temática abordada pelo mangá é a linha tênue entre a vida e a morte, sendo que o protagonista já morreu, mas vamos com calma irei explicar melhor a seguir.
Ash é um detetive que foi condenado injustamente a cadeira elétrica, por esse motivo após a morte ele é incumbido pelo Comitê Angelical para realizar uma missão na Terra. Auxiliado por Angel um anjo que guarda alguns segredos e que não está tão satisfeita por ser babá de um servente, é assim que Ash é chamado já que não é um anjo. A missão consiste em evitar que outro inocente, Joshua, seja condenado a cadeira elétrica por um crime que não cometeu. Ash parece estar bem confortável com o fato de ter morrido, porém pretende utilizar alguns métodos digamos violentos para realizar a sua missão. Angel tenta sempre alertá-lo em relação ao que pode e ao que não pode fazer, porém Ash não a escuta.
Após a morte Ash passa a poder manipular cinzas, como uma espécie de poder, ele consegue transformar cinzas em armas. É fazendo justiça com as próprias mãos que ele pretende enfrentar o verdadeiro culpado tanto pela sua morte, quanto pela condenação de Joshua, o Senador Burnaby e seus comparsas. Ao longo do desenvolvimento novos personagens são inseridos na história como Mila a irmã de Joshua que corre perigo por ter um CD que prova o inocência do irmão, a advogada Rain e o vilão misterioso Wal.
O enredo do mangá é bom, porém um tanto corrido, já que precisa fechar uma história em poucas páginas, sendo que eu acredito que poderia ser muito mais explorada se não fosse volume único. O ritmo da história é bem acelerado, não tem enrolação e em um capítulo muita coisa se resolve. Eu sofri com a ausência de algumas explicações, as condições da morte de Ash ficaram claras, mas senti falta de saber mais sobre algumas conexões de Ash com outros personagens. Angel é outra personagem que merecia ser explorada um pouco mais, ela ficou rasa e acho que a história dela merecia um destaque maior. Um dos vilões o Wal é bem interessante, ele consegue sentir a presença de Ash e se comunicar com ele, vale ressaltar que os outros personagens não conseguem fazer o mesmo apesar de estarem ciente da presença, foi outro ponto que senti falta de uma justificativa.
Como ponto positivo vale ressaltar que o mangá realmente prende a atenção do leitor, os desenhos e os cenários são muito bem feitos e o quadrinho apresenta muita ação. Apesar de não atribuir uma nota alta para a história em questão, eu estou cada vez mais interessada em embarcar nesse universo, acredito que as obras que possuem mais volumes irão sanar melhor a minha necessidade de conhecer os personagens mais a fundo.
Acredito que The Innocent cumpriu bem o papel de abrir as portas do universo dos mangás, já estou me preparando para novas leituras e espero sempre me surpreender nos mais diversos gêneros disponíveis. A partir de agora estarei sempre pesquisando mais a fundo sobre esses quadrinhos e buscando conhecê-los melhor, já até tenho em vista algumas coleções que pretendo ler.

Você pode gostar

18 comentários

  1. Anna, eu nunca tinha ouvido falar do mangá e muito menos no estilo de mangá único.
    Amei tanto a ideia como a narrativa, apesar de dar uma aflição em saber que as coisas podem ser corridas demais, mas super leria.
    Gostei!

    Lisossomos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Déborah,
      Obrigada pela visita! O universo é bem legal, agora pretendo me aprofundar mais e ler novos mangás. Espero que faça boa leitura! Obrigada pela visita!
      Beijos

      Excluir
  2. Oi menina acredita que eu nunca li um mangá na vida embora eu morra de curiosidade para entrar nesse universo? E fiquei contente em saber que esse que você indicou é volume único pois acho uma excelente forma de se começar. Além disso achei o enredo super interessante. Onde posso encontrá -lo? Sabe me disse?
    BJ

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Camila,
      Você encontra na Amazon ou Saraiva on-line. Nas bancas de jornal também tem, mas aí você irá encontrar os lançamentos. Vale a pena ler, é bem legal!
      Beijos

      Excluir
  3. Olá!
    Eu quase comprei esse mangá esses dias, numa promoção da amazon. Eu acabei deixando para lá, mas agora bateu um arrependimentozinho, rs.
    Eu nunca li nada do gênero e eu gosto muito da premissa dessa obra, apesar dessa correria para fechar tudo num único volume.
    Acho que ainda assim vou dar chance a obra quando puder.
    Ótima resenha!
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Jess, vale a pena mesmo com a correria do desenvolvimento, o enredo é bem interessante e a experiência nesse universo é bem legal. Espero que faça boa leitura. Obrigada!
      Beijos

      Excluir
  4. Oi!!

    Nunca li mangá, mas venho querendo entrar nesse universo tão excêntrico. Gostei muito de você ter analisado o mesmo e retratado sua impressão. Creio que a falta de explicação talvez deva por quer gibis geralmente tem uma característica mais ligeira, sem se preocupar com os por menores. Obrigada pela dica e abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os quadrinhos japonês tem esse hábito de dividir a história em uma quantidade de volumes maior, assim como os episódios de animes, porém tem alguns que são volume único e aí a história é um pouco mais corrida. Ainda assim não deixa de ser interessante, vale a pena conferir.
      Obrigada pela visita!
      Beijos

      Excluir
  5. Oi Anna, tudo jóia?
    Também já li o mangá, achei fraquinho e a história é interessante, mas um volume único não é o suficiente pra contá-la, ficou tudo muito corrido.
    [SPOILER]
    Por exemplo, tem um vilão que apesar de estiloso não se sabe nada sobre ele e nem porque o sangue dele é nocivo ao Ash, parece que só tá ali mesmo pra o mangá ter alguma ação. Outro detalhe é um anjo que conversa com o Angel, que aparece em 3 páginas e some sem o nome nem ter sido citado, também não é explicado o porque do Angel ter perdido as asas, entre outras coisas.
    [/SPOILER]
    Seria um bom mangá se tivesse uns 3 ou 4 volumes.
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu fiquei com essa sensação que poderiam ter explorado mais os personagens, mas em um volume só ficaria complicado. Esse mangá foi válido principalmente porque despertou meu interesse por esse universo, com certeza irei buscar outros.
      Concordo com todas as considerações que fez em relação ao conteúdo.
      Obrigada pela visita!
      Beijos

      Excluir
  6. Oi Anna, sua linda, tudo bem?
    Esse enredo é muito bom. Temos ele querendo fazer justiça com as próprias mãos, o que é perigoso, pois se agir como aquele que o matou, ele se torna igual. E temos a ação dele tendo que evitar que outro inocente morra também. Pena que é muito rápido, não deve ter ficado bem desenvolvido. Mas vou anotar a dica, pois gostei da história!!!
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Cila,
      O enredo é bem interessante, foi uma pena que não exploraram tanto, mas ainda assim foi uma leitura agradável. Espero que faça boa leitura!
      Obrigada pela visita!
      Beijos

      Excluir
  7. oi Anna. Tem anime dessa história? hahaha prefiro ver o anime ao ler o mangá, é mais dinâmico pra mim. Que pena que foi corrido, uma história assim não devia ser contada mesmo num volume único, tem muita coisa pra se explicar. Mas que bom que serviu ao proposito e agora você lerá outros. Tem um que eu gostava muito mas acho que é extenso, chama Soul Eater.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Nathalia,
      Infelizmente não tem anime :( ia ser bem interessante se tivesse.
      Vou procurar mais informações sobre Soul Eater, obrigada pela dica!
      Beijos

      Excluir
  8. Olá tudo bem???
    Gostei do seu post, ainda não leio mangás, por pura falta de tempo, mas essa dica está anotada e quem sabe eu consiga ler!!
    Beijus
    www.bibliotecaempoeirada.com.br

    ResponderExcluir
  9. Carol, adorei a resenha e saber que é o primeiro mangá que vc leu chamou minha atenção, pois faz tempo que quero ler e ainda não me animei. Penso que tudo se passa de forma corrido por se tratar de um único volume, mas este movimento me agrada pela certeza de que é algo com começo meio e fim. Achei o tema bastante interessante e lidar com temas rápidos, embora densos, faz sentido em mangás, tendo em vista que normalmente quem curte mais mangás são os adolescentes, (não sei se falei besteira ao pensar assim)
    Anotei esse mangá como dica para eu ler e conhecer um pouco deste universo.

    Bjo
    Tânia Bueno

    ResponderExcluir
  10. Oi Carol!
    Quando era mais nova lia muito mais mangás do que leio hoje. Na época tive que dar um tempo pq lia umas trocentas séries e "money que é good, nós não have" pra bancar esse vício. Hahahaha
    Faz tempo que não leio um (acho que esse ano li apenas uns 5), mas os volumes únicos são prioridade. XD
    Curti o enredo desse, parece ser uma leitura ágil e bacana. Uma pena ser meio corrida, mas acho que por ser volume único eles tiveram que dar uma corridinha.
    Fico feliz que tenha tido uma experiência bacana e espero que esse seja o primeiro de muitos que ainda lerá.
    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Oie!!
    Muito bacana ler uma resenha de mangá!
    Eu nunca li nenhum, mas amo animes e morro de vontade de me render ao mangá, mas o que me impede é o fato de ter de comprar vários pra acompanhar determinada história. Acho que esse seria uma ótima opção pra eu começar a ler!
    Já guardei a indicação.
    Beijo

    ResponderExcluir

Facebook

Instagram