Resenha: Sorte ou Azar?

17 maio

Eu estava procurando uma leitura mais leve, sem grandes expectativas e de preferência que eu nunca tivesse ouvido nada sobre a mesma. Buscava um título que me chamasse a atenção e que me divertisse durante a leitura, foi aí que encontrei o livro “Sorte ou Azar?” da Meg Cabot. A primeira impressão que eu tive do livro ao olhar a capa que seria uma mistura do filme “Sorte no amor” atuado pela Lindsay Lohan e o seriado de TV “Sabrina aprendiz de feiticeira” e estava certa. Não é um livro surpreendente,  nem com um final inimaginável e é cheio de clichês, mas ainda assim concluiu com êxito o que eu esperava da leitura.
Jean é uma adolescente de dezesseis anos e se considera uma azarada, desde o seu nascimento eventos de azar a acompanham, por isso seus familiares a chamam de Jinx (se traduzido para português equivale a má sorte). Ela é de Hancock no estado de Iowa, que é uma típica cidade de interior dos EUA.  Além disso, seus pais não são ricos, moram em uma casa pequena e sua mãe é uma pastora. O período escolar está quase no final, porém Jean precisa passar uma temporada em Nova York a fim de fugir de um problema em sua cidade natal e recomeçar a sua vida. Quem sabe não é o fim da sua má sorte? Será que é má sorte ou um dom?
Jean se hospeda na casa de seus tios Evelyn e Ted que possuem uma realidade financeira bem diferente de sua família. Eles a matriculam em uma escola cara e oferecem o máximo de conforto para Jinx. Todos os membros da família estão felizes com a sua chegada na casa, exceto sua prima Torry (ou Torrance, como prefere ser chamada), com a qual terá alguns conflitos.
Como todo livro de fantasia/romance voltado para o público adolescente tem sim um romance que de uma certa forma é impossível e que no geral agrada aos leitores do gênero. Jean assim que chega em Nova York se ver apaixonada por Zach, um garoto lindo que é vizinho dos seus tios, porém tudo indica que ele já é apaixonado por outra garota.
 Eu achei a leitura bem leve, fluída e possível de ser realizada em um curto espaço de tempo. O livro é narrado em primeira pessoa por Jean e tem uma linguagem bem simples. O enredo me lembra bastante os filmes da sessão da tarde que passam na TV, o que conferiu uma certa nostalgia ao ler.
A capa e o título tem tudo a ver com o seu conteúdo. Uma menina ruiva deitada ao lado de um pentagrama desenhado na grama, ao mesmo tempo que segura um livro. Ilustrando bem as características da protagonista, que é uma garota simples, bondosa e bem comportada. Jean se declara como nerd, além disso ainda faz parte da orquestra da escola. Uma composição clássica de contos de fadas, porém é uma personagem agradável, e que é fácil se simpatizar.
 Os personagens secundários no geral complementam bem o enredo. Os tios são adoráveis, os primos mais novos também não deixam a desejar e Torry é uma antagonista que nos diverte com as suas loucuras. Os colegas de escola por sua vez apresentam os estereótipos típicos das escolas norte-americanas para ricos que é passado em filmes, livros e seriados para jovens adolescentes.

Enfim, indico a leitura para quem gosta do gênero e para quem já gosta dos livros da autora. A leitura foi válida, foi conduzida da forma que já imaginava, o final por sua vez também é previsível, mas ainda assim pude apreciar a leitura.

Você pode gostar

25 comentários

  1. Olá.. gostei da resenha, mas confesso que não gosto muito da autora, na realidade não gosto do gênero que ela escreve, que geralmente é chick-lit, sou mais para a fantasia e terror kkkkkk, mas para quem gosta acho válido ler..

    Beijus
    Camila Mazzetto
    http://bibliotecaempoeirada.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Camila, tudo bem?
      Esse foi o primeiro livro da autora que eu li, mas acho que ela não varia muito nos livros dela. Agradeço pela atenção, obrigada!
      Beijos

      Excluir
  2. Olá, Anna!

    Eu não gosto muito dos livros da Meg Cabot, esse foi o primeiro que li da autora e e lembro que odiei a estória, odiei a protagonista, odiei o romance. Não faz o meu tipo de leitura, muito clichê e previsível, assim como a maioria dos títulos dessa autora.

    Luz e literatura!

    cantaremverso.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O que me agradou de verdade é que foi uma leitura despretensiosa, eu sabia que era clichê, imaginei o final desde o início. Foi o meu primeiro contato com a autora, acredito que os outros livros tenham o mesmo molde, apesar de não fazerem parte da minha faixa etária mais, quando é para passar o tempo é uma leitura que convém.
      Beijos

      Excluir
  3. Oi, tudo bem? Eu sou suspeita para falar dos livros da Meg, pois eu amo todos. Sorte ou Azar eu li já tem um tempinho, mas gostei bastante. O final realmente é um pouco previsível, mas nem por isso deixou de ser bom pra mim.

    Beijos.

    http://livrosleituraseafins.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu acho que o fato de ler sem grandes expectativas contribui bastante para gostar da leitura. Fico feliz que tenha gostado da leitura!
      Beijos

      Excluir
  4. Oiii, ótima resenha! Dela eu só li O Diário da Princesa, quando ainda tinha mais ou menos uns 12 ou 13 anos, na época eu gostei bastante. A estória desse parece ser legal para ser lida quando não se tem nada pra fazer, só pra distrair. Bjinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente Jéssica!
      Quando estamos preocupados com alguma coisa... acabamos nos divertindo!
      Beijos

      Excluir
  5. Olá,
    eu gostei da temática do livro, eu não conhecia a autora e achei super linda a capa.
    Parabéns pela resenha, confesso que em dias tumultuados, um livro leve assim vai muito bem!
    www.embarcandonaleitura.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza... às vezes precisamos relaxar e descansar, uma leitura leve e despretensiosa ajuda bastante.
      Beijos

      Excluir
  6. Oiii Anna, tudo bem?
    Menina estou precisando de leituras assim também, ultimamente ando lendo coisas muito pesadas e está me deixando sobrecarregada com tanta coisa de assassinato, seria uma ótima pedida essa obra. Confesso, que acho um porre quando uma capa não contradiz com a história, e como ela faz sentido, ganhou muitos pontinhos.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Morgana,
      Eu compreendo bem, sempre alterno livros mais densos com livros mais clichês só pra relaxar, entre uma leitura e outra!
      Beijos

      Excluir
  7. Oiee ^^
    Eu gostei bastante deste livro, mas não foi bem o meu favorito da Meg, confesso que esperava um pouco mais. Achei ele bem morno, sabe? Realmente, o enredo lembra filmes da sessão da tarde...haha' uma leitura rápida ♥
    MilkMilks ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dryh,
      Não conheço outros livros da autora, mas pretendo ler outros. Na verdade ele é totalmente sessão da tarde... hehehe
      Beijos

      Excluir
  8. Oie, Anna!
    Acho que nunca li nada da Meg Cabot e gostei muito da capa.
    Você me ganhou com a sua resenha quando falou que era uma mescla com Sabrina ♥
    Gosto desses enredos leves e clichês.
    Já vou anotar a dica.

    Lisossomos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Déborah,
      Me lembra as atrapalhadas da Sabrina quando ela usava a magia, espero que goste da leitura!
      Beijos

      Excluir
  9. Oi, Anna!
    Vez por outra vejo esse livro sendo resenhado ou comentado por entre um ou outro blog, e apesar da inicial curiosidade e de amar clichês literários como você citou, não sei mais se ainda tenho real vontade de conferi-lo. De qualquer, bom saber que é uma leitura leve e com personagens carismáticos e divertidos para se ler, são pontos que certamente contam muito para mim numa leitura. =D
    Beijos!

    ♥ Sâmmy ♥
    ♥ SammySacional ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sâmella,
      Compreendo! Eu o escolhi de forma aleatória, queria somente passar o tempo e me distrair, acho que ele cumpre bem esse propósito! Se você se interessar, espero que faça uma boa leitura!
      Beijos

      Excluir
  10. Esse é um dos livros da Meg que ainda não tive oportunidade de ler, mas que estão nos desejados! Eu acho a escrita da autora muito boa e envolvente! Eu curti a história dessa obra, fiquei curiosa para conhecer melhor essa personagem tão azarada. rs
    beijos
    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dessa,
      Espero que faça boa leitura quando for lê-lo.
      Beijos

      Excluir
  11. Oie!
    Livros clichês são ótimos pra distrair e passar o tempo, geralmente a gente acha que num vai gostar mas vai lá e se amarra na história.
    Eu gosto muito da autora, então tenho muita vontade de ler esse livro, assim como tantos outros dela.
    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nati, esse é bem clichê, era exatamente o que esperava dele. Espero que faça uma boa leitura!
      Beijos

      Excluir
  12. Olá Anna tudo bem, que boa escolha que vc fez, ainda não conhecia esse livro mas adorei o enredo, bem interessante. Bjkas

    ResponderExcluir
  13. Eu adoro a escrita da Meg Cabot! Realmente, é uma leitura com bastante clichê e bem previsóvel, mas é uma leitura super gostosa para quem quer apenas passar o tempo e relaxar! E esse livro não é diferente: Também gostei bastante do enredo e sei como é a diferença de Iowa e Nova York (são realmente incomparáveis!)
    Beijos,
    Déia
    Own Mine

    ResponderExcluir

Facebook

Instagram