Resenha: O Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares

26 março


Esse livro foi uma daquelas surpresas boas, uma leitura extremamente agradável, fluída e mágica. Como não amar? A edição está incrível, o livro é ilustrado com fotos antigas reais do acervo do autor, lógico que com alguns retoques, mas todas fantásticas, nos permite viajar na história e conhecer melhor os personagens. Eu adoro ficção fantástica, apesar do livro ser infanto-juvenil me encantou e a leitura foi bem rápida.
Quando eu vi esse livro pela primeira vez achei o título grande e não me chamou a atenção, me questionei em relação as crianças peculiares achei um pouco estranho, mas nem li a sinopse. Algum tempo depois eu vi que estavam lançando a continuação “Cidade dos Etéreos” e então eu li a sinopse e comecei a ter interesse pelo mesmo. A pouco tempo atrás lançaram o trailer oficial do filme homônimo e então eu percebi que precisava ler o mais rápido possível. Vou falar um pouco sobre o livro, é um pouco difícil não escrever spoilers porque tudo na história está interligado.
O avô de Jacob, Abraham Portman, era apenas uma criança quando a segunda guerra começou, ele nasceu na Polônia e aos cinco anos fora enviado para um orfanato no País de Gales. Quando cresceu Portman lutou na guerra, foi artista de circo e estava sempre vivendo grandes aventuras. Desde criança Jacob ouvia as histórias fantásticas do seu avô sobre as crianças que conhecera no orfanato e sobre a diretora que cuidava delas. Porém, o orfanato em que ele viveu não era um simples orfanato, era um tanto digamos peculiar, as crianças que viviam lá eram especiais, possuíam poderes sobrenaturais. Existiam crianças que podiam levitar, outras que eram extremamente fortes, outras eram invisíveis, outras manipulavam fogo e tantas outras cada uma com um talento especial. Portman guardava em uma caixa fotografias dessas crianças e mostrava para o seu neto, que ficava encantado com tudo aquilo. A medida em que Jacob crescia ele passou a desconfiar das incríveis histórias contadas pelo avô e se questionar o que era de fato verdade. Até o dia que seu avô sofre um atentado, quando Jacob o encontrou caído na floresta avistou um ser estranho próximo ao avô, esse possuía tentáculos saindo da boca e ele não tinha dúvidas que era quem tinha atacado o seu avô.
A aventura de Jacob começa com a ultima coisa que seu avô lhe disse, ele precisava encontrar um determinado local para então desvendar todo o passado do avô. Com a finalidade de se convencer e distinguir o que é real e o que é fantasia ele chega até a pequena ilha onde se encontrava o orfanato da Srta. Peregrine e então começa a sua busca por verdades.
Ler esse livro foi como se visitasse a minha infância, eu realizei a leitura com o olhar de uma criança. Me lembrou também um pouco a história dos Goonies, não no conteúdo, mas no fato de ser um grupo de amigos (crianças) vivendo uma grande aventura. O livro é narrado pelo Jacob, ele é um típico adolescente, vivendo as crises da idade e se questionando sobre o que de fato é real e o que é imaginação. Ele inicia um tratamento psiquiátrico e é diagnosticado com reação aguda ao estresse pós-traumático e vive momentos de tensão e medo antes de se aventurar no passado do avô.
Como em todos os livros nem tudo foi perfeito e tem seus defeitos também, eu achei o vilão previsível, em um certo momento da história eu imaginava quem era e não achei que os objetivos dele era uma justificativa muito boa. Porém, com o gancho do deixado ao final do livro um pode ser que esse aspecto melhore em sua sequência.
Como eu já mencionei no início as fotos garantem que a nossa imaginação flua, e que se tenha uma imagem perfeita das intenções do autor. As fotos conferem uma autenticidade única ao livro.  A edição sem dúvidas ficou muito boa. O segundo volume foi publicado pela editora Intrínseca no Brasil e pelo que eu vi em fotos, eu ainda não tenho, achei um pouco mais caprichada principalmente por ser capa dura.
Toda criança imagina um mundo mágico, onde tem poderes e tudo é fantástico e esse livro possui bem esses detalhes. Pelo que assisti no trailer lançado recentemente esse aspecto não fica para trás, a direção é de Tim Burton, já pelo trailer é possível notar que algumas coisas serão bem diferentes do livro, e quando for lançado poderemos fazer um comparativo entre os dois, por enquanto aguardamos com expectativa.
Enfim, eu adorei as crianças peculiares e indico o livro para pessoas que gostam de ficção fantástica narrada por crianças. Se você já leu esse livro conte nos comentários o que achou. Se ainda não leu deixe a sua opinião.

Você pode gostar

1 comentários

  1. Oie, Anna Caroline! Eu ainda não li o livro, porque a princípio imaginava que ele era de terror, mas quando soube que era fantasia eu fiquei louca para tê-lo em minha estante! kk
    Eu pretendo ler esse ano e estou mega ansiosa, além da história parecer ser muito boa, a edição parece daquelas que dá gosto de olhar.
    bjuus
    Anna - Letras & Versos

    ResponderExcluir

Facebook

Instagram