Olá leitores, tudo bem?
Hoje trazemos mais uma dica de livro inspirada no Halloween que está cada vez mais próximo e claro que não podia faltar entre as dicas o clássico "Psicose".
Sinopse: Psicose, o clássico de Robert Bloch, foi publicado originalmente em 1959, livremente inspirado no caso do assassino de Wisconsin, Ed Gein. O protagonista Norman Bates, assim como Gein, era um assassino solitário que vivia em uma localidade rural isolada, teve uma mãe dominadora, construiu um santuário para ela em um quarto e se vestia com roupas femininas. Em Psicose, sem edição no Brasil há 50 anos, Bloch antecipou e prenunciou a explosão do fenômeno serial killer do final dos anos 1980 e começo dos 1990. O livro, assim com o filme de Hitchcock, tornou-se um ícone do horror, inspirando um número sem fim de imitações inferiores, assim como a criação de Bloch, o esquizofrênico violento e travestido Bate, tornou-se um arquétipo do horror incorporado a cultura pop.
Foi através do livro “Psicose” do autor Robert Bloch que tive o meu primeiro contato com a editora DarkSide books e logo me vi interessada por outros títulos publicados por eles. É difícil mencionar algum livro publicado por essa editora sem mencionar a qualidade da edição, é sem dúvidas um aspecto que logo de cara ganha o coração do leitor. Com o livro “Psicose” não foi diferente, apesar de ter a edição que não é considerada luxo, ainda assim ganha em todos os detalhes, a capa apresenta um ralo de banheiro que junto a água escorre sangue, uma breve menção a uma das cenas de destaque do livro, as divisões de capítulo são feitas em página dupla preta com o título do livro em destaque, seguido pelo capítulo e o título do capítulo, além de apresentar uma página também em preto com uma chave de motel com um número que representa o capítulo. Portanto, a edição simples não apresenta nada de simples.

O livro inspirou um dos maiores clássicos do cinema de suspense e foi adaptado por Alfred Hitchcock. Muitas pessoas têm a impressão errônea de que o livro originou a partir do filme, muitas vezes devido ao fato de que assim que Hitchcock encerrou a leitura do livro ele comprou os três mil exemplares disponíveis no mercado e trancou todos em um depósito para que ninguém soubesse o final do filme antes de assistí-lo. O diretor apostou tanto no filme que mesmo após ter sido recusado por alguns estúdios, ele hipotecou a própria casa para conseguir realizar as gravações do filme que mais tarde seria um sucesso de bilheteria. E após tomar nota sobre o súbito interesse de Hitchcock e as circunstâncias sobre a qual nasceu o filme que o consagrou como diretor e mestre do suspense, claro, não poderia deixá-lo de lê-lo.
Depois de mencionar sobre a edição maravilhosa e as circunstâncias sobre as quais nasceu o filme, vamos ao que interessa o livro. A leitura é extremamente fluida, contando com a narrativa em terceira pessoa, sendo o narrador onisciente, logo me vi envolvida por toda a aura de mistério presente em torno do Norman Bates e sua peculiar vida junto com a mãe administrando o motel da família. Após a construção de uma nova rodovia, a estrada em que se localiza o motel praticamente caiu em desuso e é raro ter algum carro transitando por ela, o que por consequência é raro aparecer algum hóspede.
Logo no primeiro capítulo já é possível ter uma breve ideia sobre a mente doentia de Norman Bates através do seu gosto literário, onde ele regozija ao ler um trecho sobre um ritual selvagem onde um corpo de um inimigo era preservado após a morte e do intestino era feito um tambor e som ressoava pela boca do cadáver. Só por aí é perceptível que o protagonista não bate muito bem das ideias e a forma como o autor vai desenvolvendo ao longo da história é realmente impressionante e possibilita ao leitor compreensão de diversas ações dele e como a mente dele funciona.
“A luz brilhou em seu rosto gorducho, refletiu nos óculos sem aro e banhou o rosado couro cabeludo, visível sob os cabelos ralos e amarelados, quando abaixou para retomar a leitura.”
O leitor tem ainda um vislumbre sobre a mãe do personagem, uma mulher controladora, insatisfeita com o fato do filho de quarenta anos nunca ter saído de casa e que tem alguns desentendimentos com ele. A impressão que fica logo de cara é que a relação dos dois (mãe e filho) não é nada saudável.
Em seguida é apresentado ao leitor a história de Mary a garota que roubou uma quantia generosa da empresa em que trabalhava para ajudar o namorado a pagar as dívidas e assim se casarem. Ela parte na jornada sozinha, deixando para trás a irmã e após dirigir por dezoito horas ela cai na rodovia errada por engano e devido a chuva decide se hospedar no Bates Motel. Dessa forma, seu caminho se cruza com o de Norman Bates.
A ambientação é primorosa, o ar sombrio envolto da casa e do motel deixam a história ainda mais incrível, fiquei durante toda a leitura atenta e tensa. Posso afirmar que os personagens da história são intrigantes e convencem ao leitor, é possível ter um vislumbre da mente de um psicopata através de um enredo desenvolvido com maestria, não é por acaso que Hitchcock ficou tão interessado pela história.
Indico para quem já conhece o filme e gosta, mas ainda não teve a oportunidade de ler o livro, leia. Mesmo para quem ainda não assistiu, mesmo conhecendo a clássica cena do chuveiro, vale a pena investir nessa leitura. Para quem gosta de um bom suspense também não irá se arrepender. O livro é muito bom, bem construído, personagens bem elaborados e consistentes e ainda melhor que o filme. Vale a pena!


14 Comentários

  1. Olá, tudo bem?

    Psicose livo por Robert Bloch ou Psicose por Alfred Hitchcock, ambos são sensacionais! Eu tinha essa versão classic, porém vendi e acabei comprando a limited edition, que por sinal é sensacional. Assim como a Carol, também indico o livro e o filme!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente!
      Eu já vi a limited edition e achei maravilhosa, quem sabe um dia não tenho a oportunidade de tê-la em minha estante, rsrsrs.
      Abraços

      Excluir
  2. Oi Carol.

    Eu li Psicose recentemente e amei a escrita de Robert Bloch. A mente doentia de Norma deixa o leitor arrepiada e a Famosa cena do chuveiro na forma literária é simplesmente sensacional. Vale muito pena ler e ter este clássico na estante.

    Bjos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Kênia, tudo bem?
      Não sei você, mas enquanto eu lia a cena do chuveiro na minha cabeça mentalmente tocava aquela música clássica de suspense... rsrsrs. Fiquei ainda mais impressionada quando conheci a escrita de Robert Bloch é realmente sensacional.
      Obrigada pela visita!
      Beijos

      Excluir
  3. Todos falam muito bem desse livro. Confesso que eu não fazia ideia da existência dele até recentemente. Tenho muita vontade de ler, ainda mais depois dessas curiosidades que você contou no post. Geralmente preferem ler o livro para assistir ao filme e o cara quis fazer o contrário hahaha bem louco.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amanda, tudo bem?
      Então, fiquei boba em saber que ele acreditou tanto no filme que comprou todos os livros para ninguém saber do final e ainda hipotecou a casa para financiar o filme, definitivamente uma jogada de mestre devido ao sucesso e a repercussão que o filme tem até hoje. Vale a pena a leitura!
      Obrigada pela visita!
      Beijos

      Excluir
  4. Apesar de nunca ter lido o livro nem assistido o filme, já tinha uma ideia do que a história falava, mas adorei saber mais detalhes, inclusive de como o livro é por dentro e de como foram feitas as filmagens para o filme. Espero um dia ter a oportunidade de ler esse livro, e posteriormente, se tiver coragem, de assistir ao filma hahaha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Diovana, tudo bem?
      Vale a pena tanto ler quanto ver o filme. O livro é muito bem escrito e o filme conta com uma ótima direção e ótimos atores e, nem preciso dizer que o conteúdo dos dois é muito bom. Espero que tenha a oportunidade de ler!
      Obrigada pela visita!
      Beijos

      Excluir
  5. Helloo, tudo numa nice?!
    Eu nunca assisti ao filme, nem li o livro, mas assisto Bates Motel então alguns comportamentos de Norman em Psicose é explorado no seriado. Eu realmente não sabia que havia primeiro um livro e depois o filme, nem sabia que Hitchcock tinha comprado os exemplares e trancafiado. Sério mesmo. Pensei o que livro tinha sido feito depois do filme. De qualquer maneira tenho certeza que deve ser curioso o livro e mesmo sabendo em partes o que acontece me sinto instigada.
    Beijin...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Alana,
      Muitas pessoas acreditam mesmo que o livro veio depois do filme justamente porque Hitchcock comprou todos os exemplares disponíveis na época. Espero que faça a leitura e veja o filme também já que gosta da série.
      Obrigada pela visita!
      Beijos

      Excluir
  6. To doida pra ler esse livro porque gosto muito do filme e tbm sou fã do trabalho do Hitchcock, pena que a vida é muito curta e a lista de leituras só aumenta a cada dia hahahahah mas pretendo fazer uma maratona literária de livros no estilo de Psicose e com ctz ele vai ser incluído, mesmo que seja o ebook porque a grana ta curta pra comprar os livros da DArkside. HaHaHaHa Gostei das curiosidades que você apontou na resenha! bj Dana - Feed your Head

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Dana,
      Meu sonho era ter todos os livros da Darkside, mas realmente fica bem puxado por causa da grana. Faça a maratona mesmo, depois me conta o que achou vou adorar saber.
      Obrigada pela visita!
      Beijos

      Excluir
  7. Oi Carol!
    Devo ser uma das poucas pessoas que nunca assistiram Psicose, mas claro que conheço a cena do banheiro. Eu achava mesmo que o livro tinha surgido a partir do filme e caraca, fiquei surpresa com as coias que você falou. O cara acreditou muito MESMO na história pra comprar todos os exemplares e correr atrás, imagina se não desse certo? hahah
    Eu tenho bastante curiosidade em ler essa história e pretendo mesmo ler antes de assistir o filme.
    beijos
    http://pobreleitora.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Olá! Essa editora é mesmo famosa por suas obras e, com esse clássico, não seria diferente! Adorei saber a real história da adaptação ao cinema, tendo em vista que o diretor comprou os 3000 exemplares do livro, de tanto que apostou na história!!!! A leitura sendo fluida e com muito mistério, imagino que deve deixar mesmo o leitor louco para saber o final do livro! Essa mãe do protagonista, também com uma mente "duvidosa", me instiga muito à leitura, mas tenho receio porque me angustio demais com esse tipo de história. Mas se os personagens são bem elaborados, acho que topo realizar a leitura.
    Valeu a dica!

    Beijos!
    Karla Samira
    http://pacoteliterario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir