Quando iniciei a leitura do livro “A mais pura verdade” eu evitei ler resenhas ou saber algumas informações prévias do livro. Iniciar a leitura sem grandes expectativas me possibilitou ter uma leitura leve e me aproximar mais do seu protagonista. A princípio eu não compreendia a ideia de Mark largar tudo e ir atrás de uma aventura na condição em que se encontrava, como isso o ajudaria, porém no decorrer do livro a minha visão foi ampliando e pude me aproximar mais do protagonista.
Mark é um garoto que quer viver uma grande aventura escalar uma montanha sozinho, mas para isso ele precisa fugir. Ele foi diagnosticado com câncer aos cinco anos de idade, desde então sua infância se transformou, ora estava no hospital e ora tinha uma melhora clínica. Sete anos havia se passado desde o diagnostico e mais uma vez o câncer havia voltado, decidido a realizar sua grande aventura ele traça um plano que o levará até a montanha. Junto com o seu cachorro Beau ele começa a sua aventura, deixando pra trás seus pais e sua melhor amiga Jess.
O livro é narrado da perspectiva do garoto, porém traz algumas passagens que mostram como seus pais e Jess reagiram a sua fuga. Seus pais não fazem ideia para onde Mark foi, mas Jess sabe. Eles tinham um código, se comunicavam por meio de haicais (poema de origem japonesa) e Mark deixou um bilhete em haicai de despedida no qual Jess entendeu qual era o destino do seu amigo. O grande dilema de Jess é se conta para onde Mark foi ou guarda o segredo do amigo.

“Sozinho, estou deixando o meu lar.
Uma nova jornada, uma nova estrada.
Para as montanhas agora.”

O caminho percorrido por Mark não é fácil, ele encontra diversas adversidades e carrega consigo a raiva, o peso da doença e tudo isso não permite que ele compreenda bem o que ele está fazendo. A cabeça de um pré-adolescente já é confusa, imagina a cabeça de um com câncer, sem dúvidas é uma bagunça. É difícil organizar os pensamentos, compreender tudo que ele está vivendo e se perdoar. É através da sua aventura que Mark poderá ter uma compreensão e aliviar da culpa que ele carrega por ter câncer, se libertar do seu medo e da sua raiva.
Essa é uma história de aventura, coragem, amor, amizade e perdão. Mark conhece o sofrimento dos seus pais, que tentam parecer fortes para ele, o amor incondicional que sentem por ele e toda a luta que passaram ao longo dos anos. Jess sua melhor amiga também o ama e quer o seu melhor, por isso se questiona se deve mesmo guardar o segredo. Seu companheiro de aventura Beau esteve todo o tempo protegendo-o, mesmo sendo apenas um cãozinho pequeno e frágil. Quem tem cachorro sabe que o amor de seu animal de estimação é enorme e o livro tem todo um cuidado ao demonstrar esse sentimento, o quão forte é a amizade de um cãozinho e seu dono.
A história do livro é comovente, nos permite entender os sentimentos de uma criança que passa sua infância inteira lutando contra o câncer, mas que está disposta a correr atrás dos seus sonhos, encontrando forças onde menos espera. Não acredito que a grande lição do livro seja buscar seus sonhos custe o que custa, mas a busca interior, a compreensão dos eventos da sua vida, se permitir viver, aproveitar todo o seu tempo, sentir o amor a sua volta e se perdoar. A jornada de Mark não é só uma aventura é uma compreensão de tudo o que ele passou e tudo que ainda irá passar.

O livro é classificado como infanto-juvenil mas não vejo limite de idade para lê-lo. A  leitura é bem simples e você pode se surpreender. Eu gostei bastante do livro e essa é a mais pura verdade.


2 Comentários

  1. Olá!

    Eu li apenas os primeiros capítulos deste livro e ainda não tive a oportunidade de finalizar. Mas, até onde eu li, adorei a história. Mark é tão cativante!

    Estou seguindo seu blog. Se quiser conhecer o meu cantinho, será bem-vinda :D (http://psamoleitura.blogspot.com.br)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi,
      Prossiga a sua leitura não irá se arrepender! A história é emocionante.
      Farei uma visita ao seu blog sem dúvidas.
      Beijos

      Excluir